Veja o que já aconteceu na caçada por “Novo Lázaro” no interior de GO

Depois sequência de três homicídios, Wanderson pode ter sido visto em diferentes locais nos municípios de Alexânia, Abadiânia e Gameleira

atualizado 04/12/2021 7:04

Cartaz de procurado de Wanderson Protácio, suspeito de cometer crimes em série em Corumbá de GoiásDivulgação/PCGO

Gameleira de Goiás – Em seis dias de buscas pelo caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, suspeito de três assassinatos em Goiás, a ação policial circulou por diferentes pontos no território goiano. A movimentação já passou pela região entre Alexânia e Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal, e se deslocou para Gameleira de Goiás, já bem próximo a Anápolis e Goianápolis. O suspeito já morou nesta última cidade e conhece a região.

Ao longo dos dias, policiais investigam diversas denúncias de moradores que afirmam ter visto o suspeito ou alguém muito parecido com ele. Algumas delas são logo descartadas pelas equipes de investigadores, como dois vídeos de uma pessoa suspeita captados por câmeras de monitoramento ainda nos primeiros dias. Houve um rumor em um supermercado de Goianápolis na quinta-feira (2/12) e outro em uma chácara de Abadiânia na terça-feira (30/11).

Já outros casos são melhor apurados, com a visita de equipes de policiais civis e militares aos locais. Além de reforço do policiamento na área. Relembre as possíveis aparições de Wanderson.

0

 

Táxi na rodoviária

Depois de fugir de local dos crimes com uma caminhonete roubada ainda na noite de domingo (28/11), o caseiro abandonou o veículo na rodovia e foi até a rodoviária de Alexânia, na segunda (29/11) pela manhã. Wanderson chegou a comprar uma passagem de ônibus para a capital Goiânia, mas por fim decidiu pegar um táxi para Abadiânia.

0

Ele foi deixado pelo motorista na rodoviária de Abadiânia. O taxista só descobriu que o passageiro era procurado por um triplo homicídio depois que deixou o cliente no destino final.

Expulso com machado

Ainda na manhã de segunda, uma pessoa que seria Wanderson foi vista por um chacareiro na zona rural de Abadiânia, bem próximo do perímetro urbano.

O dono da chácara disse ao Metrópoles que quando viu o suspeito entrar na propriedade, correu para dentro da casa e pegou um machado. Ele teria expulsado o invasor dizendo que iria golpeá-lo com a arma, caso ele não deixasse o local. O outro fugiu.

Tentativa de invasão e tiros

Dois episódios de possíveis ações de Wanderson ocorreram em um intervalo curto de tempo entre os dias 30/11 e 1º/12, na zona rural de Abadiânia. A primeira foi por volta das 23h de terça, em uma vila de trabalhadores de uma granja de porcos.

Um trabalhador rural que tinha acabado de se mudar para uma das casas da vila, antes abandonada, foi surpreendido por uma pessoa suspeita que tentou invadir a residência forçando a tranca da janela. Ele gritou aos vizinhos, que correram até o local e o invasor fugiu na direção de um laranjal.

0

Cerca de 2h depois, já na madrugada de quarta, o empresário Caio César, de 32 anos, estava chegando na sua chácara, quando se deparou com um suspeito dentro da propriedade, que teria atirado contra ele. O empresário disse ao Metrópoles ter revidado o ataque com 12 tiros de pistola. O invasor fugiu.

Mudança de rota

A polícia mudou o foco das buscas depois de uma denúncia de que ele teria sido visto em Gameleira de Goiás, cidade que faz limite com Abadiânia. A ocorrência foi na manhã de quinta (2/12). Um trabalhador rural relatou que deu carona de moto para um desconhecido. Durante o caminho ele teria percebido que se tratava do foragido Wanderson.

0

O suspeito desceu da motocicleta e entrou em uma mata fechada. Ele disse que queria ir para Goianápolis, segundo o trabalhador. Depois da denúncia, equipes policiais passaram a monitorar a região. Até a escola municipal foi fechada por precaução.

Pedindo emprego

Uma nova denúncia de aparição de Wanderson na zona rural de Gameleira foi feita na manhã de sexta-feira (3/12). Três trabalhadores de uma estufa de pimentões e tomates relataram ter visto o caseiro enquanto trabalhavam.

O suspeito estaria procurando emprego. Os trabalhadores acharam o visitante parecido com o foragido e tentaram puxar mais assunto. Mas o homem deixou do local rapidamente.

0

Equipes de policiais em veículos sem identificação fizeram várias visitas à propriedade durante a manhã e tarde de sexta. Também estiveram presentes equipes em viaturas das polícias civil e militar.

Até o início da noite de sexta as buscas se concentravam nesta região.

0
Crimes em série

Os crimes em série de Wanderson Protácio teriam sido praticados no fim da tarde de domingo (28/11). De acordo com a Polícia Civil, o jovem teria matado a facadas a própria esposa, Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos.

Na sequência, o caseiro invadiu a casa de um vizinho, roubou o revólver dele e matou a tiros o produtor rural Roberto Clemente de Matos, de 73 anos. Ele teria cometido o crime para roubar uma camionete. Neste mesmo episódio, teria tentado estuprar a esposa da vítima, de 45 anos, não conseguiu e a baleou. A mulher sobreviveu.

A caminhonete roubada foi abandonada em uma rodovia da região. Wanderson vendeu o celular que pertencia a sua esposa a um receptador de Alexânia, que acabou sendo preso. Da cidade, ele fugiu de táxi pelo menos até Abadiânia. Um taxista confirmou ao Metrópoles que fez a viagem.

Crimes no currículo

Essa onda de crimes não é única passagem de Wanderson pelo mundo do crime. Em dezembro de 2019, ele esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela. O caso foi em Goianápolis. O agressor só parou com os ataques porque a faca quebrou. Ele chegou a ser preso pela tentativa de feminicídio. À época, em uma audiência, ele zombou do episódio. O jovem foi solto em março de 2020.

Em 25 de novembro aquele ano, Wanderson se envolveu em outro crime, dessa vez em Minas Gerais. Ele é apontado como participante na morte do taxista Maurício Lopes Mariano, de 25 anos, em São Gotardo. Ele foi preso na região junto com outras três pessoas (dois adolescentes). O taxista teria sido amarrado com o cinto de segurança e esfaqueado até a morte.

Chama a atenção o caso de Wanderson e as semelhanças com a história do criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, que cometeu crimes em série no Entorno do DF em junho deste ano. Após cometer homicídios em sequência, o também caseiro passou 20 dias fugindo das forças policiais na região, até ser morto em um confronto no dia 28 de junho. Wanderson, aliás, confessou a amigos ser fã do Lázaro original.

Mais lidas
Últimas notícias