Polícia faz busca em fazenda onde homens dizem ter visto “Novo Lázaro”

Três funcionários de uma fazenda contaram que conversaram com um homem que seria Wanderson Protácio, procurado por três homicídios em Goiás

atualizado 03/12/2021 19:54

Forças policiais fazem buscas em fazenda onde Wanderson Protácio teria sido vistoVinícius Schmidt/Metrópoles

Gameleira de Goiás – Três funcionários de uma estufa de pimentões e tomates afirmam ter visto e conversado com o caseiro Wanderson Mota Protácio na fazenda em que trabalham em Gameleira de Goiás. Acusado de matar três pessoas, o jovem é procurado há cinco dias na região. A denúncia foi feita na manhã desta sexta-feira (3/9). A polícia cercou o local atrás de pistas do fugitivo.

Os funcionários contaram ao Metrópoles que estavam cuidando de pimentões dentro da estufa por volta das 9h30. Foi quando quando perceberam um desconhecido se aproximar do lado de fora. Esse homem teria tentado entrar dentro do espaço por um buraco da tela da estufa, mas teria recuado.

“Ele perguntou se a gente morava em Goianápolis e disse que era de lá. Ele tava com uma camiseta polo, boné, botina, uma corrente grossa de prata e o celular na mão”, relatou um dos funcionários.

0

Desconfiança

Os trabalhadores contaram que ele era jovem e magro. O homem perguntou se tinha trabalho na fazenda. Eles imaginaram que aquela pessoa poderia ser Wanderson e tentaram mantê-lo no local. Enquanto isso, um deles foi até uma casa da fazenda.

“Não deu pra perceber se ele estava armado, mas tinha uma coisa no bolso dele. Ele falou que morava em uma chácara aqui perto. Mas essa chácara está abandonada. Falamos para ele que tinha muito trabalho na fazenda, mas ele vazou”, relatou um dos funcionários.

Outro trabalhador conta que chegou a pedir para ele ficar mais tempo. “Falei para ele: “Espera aí, aqui tem muito trabalho”. Só que ele falou que tinha que ir embora, que ia voltar depois com a mulher dele.”

O suspeito então deixou a chácara na direção de uma mata ao lado de uma das plantações de soja da região.

Os trabalhadores que viram o suspeito estão amedrontados com a aparição. “A gente está meio cismado, porque esse cara pode parecer aqui novamente”.

A polícia foi acionada e foi até o local. O delegado responsável pela investigação e o prefeito de Gameleira também foi na fazenda. Os policiais civis e militares realizam buscas na região, pelas estradas de terra e matagais.

A região é a mesma em que um trabalhador rural diz ter dado carona de moto para um homem parecido com Wanderson na quinta-feira (2/12). Depois disso, até as aulas na única escola municipal do povoado de Mucambinho foram suspensas.

0

Investigações

Equipes policiais se concentraram na região entre o final da manhã de quinta e o início da tarde, mas o movimento de viaturas diminuiu bastante conforme foi se aproximando a noite. As aulas da escola municipal do povoado de Mucambinho, próximo à fazenda em que o suspeito foi visto, foram suspensas desde quinta.

Mesmo com a aparente calmaria depois da carona para o suspeito, o trabalhador rural que deu a carona diz ainda estar abalado com a situação.

“Eu quase nem dormi essa noite preocupado com minha família. Para mim é um terror. A hora que pegar o bandido eu fico satisfeito.”

Crimes em série

Os crimes em série de Wanderson Protácio teriam sido praticados no fim da tarde de domingo (28/11). De acordo com a Polícia Civil, o jovem teria matado a facadas a própria esposa, Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos.

Na sequência, o caseiro invadiu a casa de um vizinho, roubou o revólver dele e matou a tiros o produtor rural Roberto Clemente de Matos, de 73 anos. Ele teria cometido o crime para roubar uma camionete. Neste mesmo episódio, teria tentado estuprar a esposa da vítima, de 45 anos, não conseguiu e a baleou. A mulher sobreviveu.

A caminhonete roubada foi abandonada em uma rodovia da região. Wanderson vendeu o celular que pertencia a sua esposa a um receptador de Alexânia, que acabou sendo preso. Da cidade, ele fugiu de táxi pelo menos até Abadiânia. Um taxista confirmou ao Metrópoles que fez a viagem e relatou o perigo que enfrentou sem saber.

0

Currículo criminoso

Essa onda de crimes não é única passagem de Wanderson pelo mundo do crime. Em 2019, ele esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela. O caso foi em Goianápolis (GO). O agressor só parou com os ataques porque a faca quebrou. Ele chegou a ser preso pela tentativa de feminicídio. À época, em uma audiência, ele zombou do episódio. O jovem acabou sendo solto em março de 2020.

Em 25 de novembro aquele ano, Wanderson se envolveu em outro crime, dessa vez em Minas Gerais. Ele é apontado como participante na morte do taxista Maurício Lopes Mariano, de 25 anos, em São Gotardo. Ele foi preso na região junto com outras três pessoas (dois adolescentes) pelo crime. O taxista teria sido amarrado com o cinto de segurança e esfaqueado até a morte.

Chama a atenção o caso de Wanderson e as semelhanças com a história do criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, que cometeu crimes em série no Entorno do DF em junho deste ano. Após cometer homicídios em sequência, o também caseiro passou 20 dias fugindo das forças policiais na região, até ser morto em um confronto no dia 28 de junho.

Mais lidas
Últimas notícias