*
 

Bruno Renato Rocha Silva, 7 anos, único sobrevivente do Palio que se envolveu em um grave acidente na BR-080 na madrugada de domingo (8/7), ainda não sabe que perdeu toda a família. “Ele está consciente. Chama muito pela mãe, pelo pai e pelos irmãos. Não se recorda do que aconteceu”, contou a tia Raysa Rocha, 18 anos.

Ela é irmã de Renata Rocha dos Santos, 25 anos, que estava grávida de sete meses. Além da gestante, morreram na colisão frontal em Padre Bernardo (GO), o marido, Bruno dos Santos Silva, 31, e dois filhos do casal (foto em destaque): Stefany Vitoria Rocha Silva, 3, e Mikael Rocha Silva, 5. Marina Gabriella de Oliveira Xavier, 9, passageira do outro veículo, é a quinta vítima. Reprodução/Facebook

Os parentes ficaram devastados após a tragédia que pode ter sido provocada pela combinação entre álcool e direção. Em entrevista ao Metrópoles nesta segunda (9), Raysa disse que tinha ido com a família para Taboquinha, no Palio. “Mas acabei decidindo voltar com outra irmã. O Bruno (cunhado dela) tinha ingerido bebida alcoólica em uma distribuidora”, confirmou.

Ela foi uma das primeiras a chegar no local do acidente. “Nem consegui dormir. A cena era a pior possível. Vi na hora que tiraram todos eles do carro”, contou, muito emocionada, na porta do Instituto Hospital de Base (IHB), onde Bruno Renato está internado.

Eles vão fazer muita falta. Eram muito especiais pra mim. Meus sobrinhos me amavam, eu era a tia preferida"
Raysa Rocha, irmã de Renata, que morreu no acidente

Cristina Melo também foi ao IHB esta manhã para ficar com Bruno Renato. A família, segundo ela, morava em  Samambaia e estava em Taboquinha porque tanto Renata quanto o Bruno têm parentes no município.

 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os dois carros colidiram frontalmente. Bruno teria feito uma ultrapassagem em local permitido, quando bateu em um GM Classic, ocupado por um casal e duas crianças.

De acordo com a PRF, testemunhas contaram que os dois condutores estariam embriagados. Conforme relatos de pessoas no local do acidente, um dos motoristas teria sido visto em um bar na estrada antes da colisão. Já as equipes de socorro teriam identificado sinais de embriaguez no outro condutor.

A PRF informou ainda que as crianças, com idade entre 4 e 5 anos, deveriam estar em cadeirinhas de segurança. No entanto, o equipamento não foi encontrado no interior dos veículos nem nas proximidades do acidente.