*
 

Divulgado nesta terça-feira (13/3), exame da Polícia Civil de Goiás confirmou que Suzete Santos Miranda, 32 anos, foi abusada sexualmente depois de ser morta com mais de 20 golpes de faca e tesoura. Os corpos dela e de seus dois filhos, João Vitor, 6, e Joyce, 4, foram encontrados no último domingo (11), na casa onde a família morava, em Águas Lindas de Goiás.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Cléber Martins, há indícios de que as crianças também foram violentadas. No entanto, ele aguarda o resultado de outros exames para confirmar os abusos.

O principal suspeito, o cozinheiro Vladimir Andrade, 45 anos, nega ter matado e violentado Suzete e os filhos, segundo os investigadores.

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) determinou, nesta terça (13), a prisão temporária de Vladimir por 30 dias. Ele permanece detido na carceragem do Centro Integrado de Operações de Segurança.

Comoção
A dor e a revolta de amigos e familiares marcaram o enterro de Suzete e dos filhos nesta terça-feira (13). Por conta do estado dos corpos, as vítimas não foram veladas, e a despedida foi com caixões fechados. Inconformado, o pai das crianças não parou de repetir “mataram meus filhos”, e precisou ser amparado várias vezes durante a cerimônia.

Questionamentos
Os familiares questionam a versão de que Suzete e o suposto assassino, o cozinheiro Valdimir Andrade, 45 anos, tiveram um relacionamento amoroso. “Eles não tiveram nada. Ele era casado, ela sempre fugiu dele. Mas ele não se conformava, a perseguia e abordava os meninos”, contou Tarsila dos Santos, 27 anos, tia das crianças.

Cena de horror
Os corpos das vítimas foram achados no domingo (11), no bairro Guaíra II, em avançado estado de decomposição. A primeira pessoa a se deparar com a cena de horror na casa onde mãe e filhos moravam foi o cunhado de Suzete, Edvaldo dos Santos Conceição, 46. “Abri a porta e fiquei chocado. As crianças eram muito apegadas a mim. Quase todo fim de semana, eu vinha para cá ficar com elas”, disse.

Havia muito sangue pela casa, segundo Edvaldo. “Vi primeiro o corpo do menino [João Vitor] e me assustei. Quando entrei no quarto, estavam Suzete e Joyce. Muito triste”, lamenta o cunhado. A mulher levou pelo menos uma facada no peito e 20 tesouradas no pescoço. Os filhos foram mortos com golpes de tesoura. No domingo (11), o cheiro dos corpos ainda era forte na rua onde ocorreu o crime.

 

 

COMENTE

estuproÁguas Lindastriplo homicídio
comunicar erro à redação

Leia mais: Entorno