Em pandemia, médicos são transferidos para área burocrática da Saúde no DF

Ordem de serviço assinada pelo subsecretário de Atenção Integral à Saúde também reduz jornada dos especialistas em 20 horas semanais

Pronto-socorro do HranIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 27/06/2020 16:13

No mesmo dia em que unidades públicas de saúde atingiram a marca de 90% dos leitos ocupados por pacientes infectados pelo novo coronavírus, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal autorizou que especialistas deixassem a linha de frente do combate à pandemia para exercer atividades administrativas. A maior parte é médico e lotado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), referência no tratamento da Covid-19 no DF.

De acordo com a pasta, não haverá prejuízos para os atendimentos na unidade. A ordem de serviço publicada no Diário Oficial (DODF) de quinta-feira (25/06) e assinada pelo novo subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Gustavo Bernardes, recruta os especialistas para integrarem um grupo de trabalho criado exclusivamente para apresentar, em até 180 dias, estudo sobre a reformulação da atribuições da referida subsecretaria.

Antes de assumir o posto, Bernardes foi diretor-geral do Hran, mas acabou exonerado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) após servidores da unidade terem sido filmados na sala de descanso, enquanto pacientes aguardavam o atendimento na emergência.

Confira a publicação do DODF: 

0

 

“O grupo de trabalho se reunirá, ordinariamente, duas vezes por semana e em caráter extraordinário a critério do presidente. Os membros terão dispensa de carga horária de 20h semanais para realização das atividades, sem prejuízo do serviço de origem”, explica o texto publicado. Não haverá redução na remuneração atual dos escolhidos.

Hran

Pela nova decisão da pasta, participarão do grupo profissionais de diferentes áreas de atuação, a maior parte integrante dos quadros do Hran.

São eles: Ricardo de Souza Monteiro, do gabinete de crise do novo coronavírus do Hran; Mário Capp Neto, da unidade de cirurgia geral; Wellington Alves Epaminondas, urologista do hospital; o dentista Rodrigo José do Nascimento Ribeiro; o cirurgião Wendel dos Santos Furtado; o também cirurgião Adriano Guimarães Ibiapina, ex-superintendente da Região de Saúde Central; Paulo Henrique Ramos Feitosa, ex-diretor do Hran; o cirurgião Paulo Roberto Pereira de Assis; e o proctologista Joubert Fernandes Barbosas, ex-diretor de Engenharia Clínica de Equipamentos da Secretaria de Saúde.

Em nota, a pasta garantiu que “a transferência desses profissionais não acarretará nenhum prejuízo ao cenário atual, pelo contrário, pois eles são especialistas em suas respectivas áreas, e vão contribuir sobremaneira com sua experiência neste momento de pandemia”.

Últimas notícias