Saiba como conseguir descontos de até 65% em medicamentos

Descontos são oferecidos mediante cadastro em laboratórios. Alzheimer, depressão e hipertensão são algumas doenças inclusas em programas

atualizado 02/01/2020 17:05

Istok

Remédios, geralmente, representam um gasto pesado no orçamento do consumidor. Principalmente para aqueles que passam por longos tratamentos ou usam algum medicamento de uso contínuo, precisando fazer a compra todos os meses.

Para driblar os preços mais salgados e economizar, os consumidores contam com algumas ferramentas. Além dos descontos oferecidos pelas drogarias com o uso do CPF do cliente, é possível buscar benefícios oferecidos pelos próprios laboratórios por meio de programas de fidelidade.

Em alguns deles, os descontos chegam a 65% e são encontrados em mais de 100 farmácias cadastradas em todo o Distrito Federal.

Na maioria dos casos, conseguir o desconto é simples. Basta se cadastrar no site do programa do laboratório de interesse (veja lista abaixo). Informações pessoais – como endereço e CPF –, receita médica e CRM do médico são solicitados a quem deseja se registrar.

De acordo com uma pesquisa da SPC Brasil, em 2018, 26,6% da população brasileira fazia uso de remédios contínuos ou periódicos. A maioria deles – 51,3% – pagava pelo remédio sem a ajuda do Serviço Único de Saúde (SUS), por exemplo.

Ainda segundo a pesquisa, o gasto médio entre os que faziam uso desses medicamentos contínuos era de R$ 138,22 por mês – em um ano, ultrapassa R$ 1,6 mil. Para pessoas acima de 55 anos, a cifra aumentava para R$ 194,97.

Diferença no bolso

Laura de Souza, 22 anos, é uma das consumidoras que descobriram o sistema oferecido por uma farmácia. Assim, aproveita esses programas de desconto para economizar na compra do anticoncepcional que precisa adquirir todo mês.

“O farmacêutico mesmo me informou. Perguntei se só tinha por um valor e ele me falou [sobre o desconto]. Faz diferença” conta. A nutricionista estima que a economia mensal chegue a R$ 18.

O remédio, que costuma custar R$ 50 na farmácia que frequenta, sai por R$ 32 com o desconto do laboratório. Em um ano – período em que Laura toma o medicamento –, os descontos somam R$ 180.

Após descobrir a possibilidade, Laura sempre pergunta se há o desconto em outros medicamentos. Caso o laboratório não ofereça o benefício, a nutricionista aposta em outras táticas. “Dependendo do plano de saúde, a farmácia também dá desconto”, destaca.

Conheça outros programas que garantem descontos ao consumidor:

  • Faz Bem: os descontos para os medicamentos da AstraZeneca Brasil variam entre 20% e 45%. Estão incluídos remédios para tratamento de doenças como hipertensão arterial, asma, doenças gástricas, entre outros.
  • Programa Viva: a farmacêutica Sanofi dá descontos que chegam a 65%. Os interessados encontram preços diferentes para remédios contra diabetes, esclerose múltipla, problemas gástricos, entre outros.
  • Programa Mais Pfizer: o laboratório, junto a farmácias cadastradas, oferece preços de 19% a 56% mais em conta para tratamentos como Alzheimer, câncer de mama, depressão, trombose, entre outros.
  • Vale Mais Saúde: o programa de adesão da farmacêutica Novartis inclui medicamentos para o tratamento de enxaquecas, insuficiência cardíaca, diabetes, epilepsia, entre outras doenças. A empresa não divulga as informações sobre os descontos.
  • Bayer para você: a empresa oferece desconto para cinco produtos, entre anticoncepcionais e remédios para trombose. O programa ainda inclui parceiros, como grupo de corrida, com 35,5% de desconto, e bicicletas compartilhadas, com serviços 40% mais baratos.
  • Saúde em evoluçãoo laboratório Biolab cadastrou sete produtos e oferece descontos de 25% a 40% nos medicamentos. Hipertensão, insuficiência cardíaca, Parkison são algumas das doenças incluídas no programa.
  • Viver Mais: a Allergan tem produtos específicos para a saúde ocular. Remédios para o tratamento de glaucoma estão entre as opções de remédios que recebem descontos entre 12% e 45%.