Procura emprego? Comércio abre inscrições para vagas temporárias no DF

Sindivarejista prevê que comerciantes contratem 2,1 mil pessoas neste fim de ano. Número é maior que o de 2018

Agência Brasil/Imagem IlustrativaAgência Brasil/Imagem Ilustrativa

atualizado 02/10/2019 11:16

As festas de fim de ano movimentam o comércio no Distrito Federal. Com mais consumidores interessados em fazer compras para o Natal, as lojas precisam de um reforço no quadro de funcionários. A época festiva pode representar uma ótima oportunidade para as 313 mil pessoas desempregadas na capital, de acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) de agosto.

As expectativas são boas: o Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista) prevê que 2,1 mil vagas temporárias sejam criadas neste fim de ano. O número é maior que o do ano passado, quando foram contratados 1,9 mil funcionários temporários, segundo a entidade. Os comerciantes consideram ainda que as vendas de dezembro devem crescer 4% contra 3% do Natal de 2018.

“A expectativa é bem melhor que no ano passado. Os lojistas estão bem motivados. A economia vem melhorando desde o Dia das Mães”, afirma o presidente do Sindivarejista-DF, Edson de Castro. “O Dia das Crianças e o Black Friday serão grandes termômetros para o Natal.”

O 13º salário e o saque de R$500 de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que começou a ser liberado em setembro, contribuem para o aumento das vendas no fim do ano, aponta Castro. O pagamento do 13º deve injetar R$ 7,8 bilhões na economia da capital em 2019, diante dos R$ 7,6 bilhões em 2018.

Oportunidades

Nesta quarta-feira (02/10/2019), o Sindivarejista abre as inscrições para trabalhadores temporários de fim de ano, por meio do Balcão de Empregos. A plataforma on-line foi criada pelo sindicato, em 1998, para fornecer mão de obra ao comércio, principalmente em datas comemorativas importantes, como o Natal.

O cadastro deve ser realizado no site da entidade. É preciso inserir dados pessoais, telefones e outros meios de contato, experiências profissionais, área de interesse e uma foto. O contato é feito assim que uma vaga surge com o perfil do candidato.

O site funciona também em outras épocas do ano. Por isso, pelo menos uma vez a cada seis meses, o candidato precisa utilizar a plataforma para manter o cadastro ativo.

Mais vagas

Para o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do DF (Sindhobar), o otimismo é maior. O presidente do sindicato, Jael Antônio da Silva, estima que a época do ano traga entre 6 e 8 mil oportunidades temporárias.

A expectativa é que o fim do ano acompanhe o crescimento registrado pela categoria nos oito primeiros meses de 2019. Silva aponta que até agosto mais de 2 mil empresas do setor foram abertas na capital.

Chances de efetivação

De acordo com o presidente do Sindivarejista-DF, a média calculada pelo sindicato para efetivações ao fim do contrato temporário é de 20%. Nacionalmente, a projeção é maior.

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que quatro em cada 10 empresários devem efetivar profissionais em todo o país. A média de contratação deve ficar entre um e dois funcionários.

O diretor de Relações Governamentais da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Bruno Goytisolo, afirma que as chances de contratação efetiva existem, principalmente para aqueles profissionais que apresentam um bom desempenho no trabalho.

“Toda oportunidade deve ser vista como uma oportunidade de fazer com que a carreira seja restabelecida. O potencial candidato não deve pensar que é apenas temporário. Se ele conseguir mostrar um bom trabalho, ele pode ser efetivado”, afirma.

Goytisolo recomenda ainda que o funcionário tenha foco no cliente, com uma boa postura e buscando sempre atender as expectativas de quem está sendo atendido. “O empenho é fundamental”, aponta.

Nacional

A pesquisa da CNDL e do SPC Brasil estima ainda que até dezembro deste ano serão abertas 103 mil vagas em todo o país — um crescimento de 43,8 mil postos de trabalho em relação ao que foi previsto para 2018.

Houve um aumento de 17% no número de empresários que contrataram ou devem contratar ao menos um novo colaborador pensando nessa época do ano. O intenção da maioria é de que o reforço do quadro de funcionários atenda o aumento de demanda no período.

A maioria das contratações deve ocorrer em novembro, de acordo com a pesquisa. Do total de empresários entrevistados, 23% devem contratar funcionários temporários em outubro. Enquanto 14% vão abrir vagas em dezembro, 8% já contrataram em agosto e 14% em setembro.

Perfil

A CNDL e o SPC Brasil fizeram ainda um perfil do profissional cobiçado para as vagas temporárias. Em média, são pessoas de 28 anos, com ensino médio completo e experiência na área. A remuneração média é de 1,6 salário mínimo, ou aproximadamente R$ 1.597.

A maior parte das vagas deve ser destinada a ajudantes, com 31% das intenções. Vendedores aparecem em seguida, com 26%. As funções desejadas para as contratações de fim de ano incluem ainda balconista ou atendente (9%); motorista (6%); caixa (4%); e estoquista (4%). Em média, a jornada de trabalho é de oito horas diárias.

Direitos

A Lei nº 13.429 é a legislação específica para contratos temporários. As novas regras, aprovadas em 2018, permitem contratações de até seis meses (180 dias) pelas empresas, com possibilidade de prorrogação de até três meses (90 dias).

Os funcionários temporários têm praticamente os mesmos direitos que o efetivo, como registro em carteira de trabalho, horas extras, repouso semanal remunerado, jornada diária de oito horas, entre outros.

Últimas notícias