*
 

Os empresários brasilienses do setor industrial apostam que 2019 será um ano bem melhor para a economia com as posses de Jair Bolsonaro (PSL) no Palácio do Planalto e Ibaneis Rocha (MDB) no GDF. É o que aponta o Índice de Confiança do setor (Icei-DF). O indicador alcançou 65,3 pontos em novembro, elevando-se em 10,2 pontos na comparação com o mês anterior, quando registrou 55,1 pontos. Foi o maior crescimento de um mês para o outro neste ano e é o segundo maior desempenho da série histórica, iniciada em 2010.

Em maio daquele ano, o índice atingiu 66,7 pontos. Para o presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Jorge Bittar, é importante aproveitar este momento de reconstrução da confiança após crises políticas e econômicas enfrentadas pelo Brasil na última década para retomar o crescimento da indústria. “A confiança do empresário é o ponto de partida para as empresas investirem, comprarem equipamentos e contratarem, gerando empregos e riqueza”, afirma.

O Icei-DF segue acima da linha divisória de 50 pontos, que separa confiança de falta de confiança. Ao longo de 2018, o índice ficou apenas uma vez abaixo da linha. Foi em julho, quando caiu para 49,7 pontos — reflexo da paralisação do transporte rodoviário de cargas em maio, que prejudicou a indústria nacional.

O equilíbrio das contas públicas do DF e as agendas econômicas dos próximos governos local e federal influenciaram o resultado. O otimismo também se deve aos avanços relacionados à segurança jurídica, a exemplo da sanção da Lei 6.225/2018, que trata da convalidação de incentivos fiscais no DF, e da possibilidade de aprovação da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos).

O Icei-DF, que mensalmente identifica a confiança do industrial em relação à economia brasileira, à economia local e ao próprio negócio, é feito pela Fibra, em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-DF) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os empresários avaliam as condições atuais e as expectativas para os seis meses seguintes. Os últimos dados foram coletados de 1º a 14 de novembro.

Todos os componentes do Icei-DF cresceram em novembro. O indicador de condições atuais ficou acima da linha dos 50 pontos, após seis meses de baixa confiança. O índice passou de 43,3 pontos para 53,2. O indicador de expectativas teve aumento de 10,2 pontos na passagem de outubro para novembro, alcançando 71,4 pontos. A variável que mais contribuiu para melhoria de ambos foi em relação à economia nacional.

No país
Assim como a pesquisa local, o Icei nacional teve crescimento histórico em novembro. Segundo a CNI, o índice alcançou 63,2 pontos. O aumento da confiança de outubro para novembro foi de 9,5 pontos, o maior de um mês para o outro desde o início da série mensal, que começou em 2010. O recorde foi em setembro daquele ano: 63,3 pontos.

Os índices de confiança de empresários da indústria de todas as regiões brasileiras superaram 60 pontos em novembro: Sul (65,5), Centro-Oeste (63,7), Sudeste (62,7) e Nordeste (61).