Consumidor ainda encontra gás de cozinha sem aumento de preço no DF

Apenas duas revendedoras pesquisadas pelo Metrópoles repassaram o aumento de 3,16%. Sindicato espera mudanças para esta semana

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 09/09/2019 21:02

O reajuste de 3,16% no preço do gás de cozinha começou a valer oficialmente nesta segunda-feira (09/09/2019) em todas as revendedoras do Distrito Federal. De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de Gás do DF (Sindvargas-DF), Sérgio Costa, algumas lojas repassaram o aumento para o consumidor na última quarta-feira (04/09/2019), após o anúncio da medida, mas ainda é possível encontrar botijões com preços antigos.

“A partir de hoje (segunda-feira, 09/09/2019), as outras distribuidoras lançam o reajuste. Acredito que, agora, começa a refletir para o consumidor”, afirma Costa. Segundo ele, cada empresa definirá qual será o valor repassado ao consumidor. O incremento foi aplicado por distribuidoras e engarrafadoras, motivado pelo dissídio coletivo da categoria

De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), coletados em junho deste ano, o preço médio no DF é o de R$ 73,74. Com a correção de 3,16%, o valor subirá para cerca de R$ 76.

Repasse

A maior parte das revendedoras pesquisadas pelo Metrópoles nesta segunda não havia repassado a majoração ao consumidor.

Em Ceilândia Norte, a Master Gás foi uma das que reajustaram o preço ao consumidor na semana passada. O aumento foi de R$ 5, passando de R$ 65 para R$ 70. A Real Gás, em Samambaia Sul, também fez a mudança. Na última semana, o valor saiu de R$ 70 para R$ 73.

Já na revenda Supegasbras, também em Ceilândia Norte, o repasse ainda é estudado, já que há estoque da semana passada. Em compras no dinheiro, o gás de cozinha custa R$ 65; no cartão de crédito, o valor sobe para R$ 70.

O mesmo ocorre em uma revendedora de São Sebastião: na Oficial Gás, o consumidor encontra o produto por R$ 70. Por causa do estoque alto, o incremento ainda não está sendo repassado. No Paranoá, o gás pode ser encontrado a R$ 75.

Outras cidades

No Gama, a Natural Gás DF deve repassar. A previsão é que o botijão fique R$ 2 mais caro no local. Durante a manhã, no entanto, o consumidor ainda conseguiu comprar o GLP por R$ 70. Na mesma região administrativa, a fornecedora Baixinho do Gás, que ainda não tem previsão para aplicar o reajuste, cobra R$ 65. Porém, somente com pagamento em dinheiro.

Em duas revendedoras da Asa Norte — Disk Gás Asa Norte e JC Gás —, o consumidor encontra o gás a R$ 95. Ou seja, ainda sem repasse. O mesmo valor também é encontrado na JR Gás, na Asa Sul. Em Vicente Pires, também não houve aumento, porque o estoque é o mesmo da semana passada. O valor cobrado na fornecedora Gás Família é de R$ 75. Em Sobradinho II, a Expresso Gás também segue vendendo o gás de cozinha a R$ 75, sem reajuste.

Últimas notícias