Distrital lamenta morte de policial militar do DF: “Foi meu aluno”

Latrocínio de PM em Ceilândia repercutiu na Câmara Legislativa. Alguns parlamentares cobraram revisão das leis para enfrentamento do crime

atualizado 17/11/2020 16:33

PMDF/Reprodução

“Foi meu aluno no 1º ano do ensino médio”, desabafou o deputado distrital Reginaldo Veras (PDT), ao comentar o assassinato do policial militar Walisson Holanda Fernandes, 28 anos, durante tentativa de assalto nessa segunda-feira (16/11).

O latrocínio do soldado dominou parte das falas dos distritais na sessão plenária remota da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), nesta terça-feira (17/11).

Segundo Veras, o policial foi seu aluno em escola pública do Setor P Norte, em Ceilândia.

“Quero deixar meu abraço à família do Walisson para toda a comunidade do Setor P Norte. E a toda comunidade do Centro de Ensino Médio 12 de Ceilândia, que certamente está em luto, aqueles que estudaram com ele, aqueles que foram professores dele”, completou Veras.

O deputado Hermeto (MDB) também prestou homenagem ao policial militar. “Começo dizendo da minha tristeza e na minha decepção por tudo o que está acontecendo na segurança pública do DF”, afirmou.

Para Hermeto, a criminalidade avança com o respaldo de decisões judiciais e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O distrital lamentou que os criminosos não reagiram quando foram presos no Goiás. “Podiam ter reagido, porque iam vir para Brasília tudo no caixão. Iam vir com paletó de madeira”, disparou.

Quero deixar minha solidariedade à família do soldado Holanda“, concluiu.

 

Últimas notícias