DF: palmeirenses vão a júri popular por tentar matar flamenguista

O crime aconteceu no Estádio Mané Garrincha, durante o intervalo de um jogo entre os dois times em junho de 2016

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 11/11/2019 17:50

Acusados de agredir com socos e chutes um flamenguista durante um jogo de futebol no Estádio Nacional Mané Garrincha, dois membros da Mancha Verde, torcida organizada do Palmeiras, vão a júri popular nesta quinta-feira (07/11/2019), por tentativa de homicídio. O crime aconteceu em 5 de junho de 2016, no intervalo da partida entre os dois times.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT), mesmo desmaiada, a vítima, João Vitor dos Santos, continuou recebendo chutes e pisões na cabeça. A confusão generalizada começou após provocações entre as duas torcidas. Por uma falha na segurança, um grupo de palmeirenses invadiu a ala dos adversários e agrediu dois flamenguistas que estavam nos corredores.

Na análise do promotor de Justiça Marcelo Leite, o crime tem três qualificadoras: motivo fútil, meio cruel e dificuldade de defesa. “O crime não se consumou por circunstâncias alheias às vontades dos réus, uma vez que houve intervenção de terceiros para impedir a continuidade das agressões”, defende o promotor.

A vítima foi levada ao Hospital de Base com o outro torcedor espancado. Um grupo de torcedores do Palmeiras suspeito de envolvimento nas agressões foi levado à 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). Vídeos de segurança do estádio ajudaram à polícia a identificar os envolvidos.

Últimas notícias