Coronavírus: presos fabricarão 3 milhões de máscaras para o DF

A produção é considerada importante porque pode abastecer o mercado com produtos mais baratos. Atualmente, a unidade custa R$ 4

atualizado 02/04/2020 16:58

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), acompanha de perto a produção de máscaras descartáveis pelos internos da Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I), no complexo penitenciário da Papuda. A meta é fabricar aproximadamente três milhões de unidades nos próximos dois meses para reforçar a prevenção contra o coronavírus.

Os primeiros 30 mil itens serão entregues na próxima terça-feira (07/04) para unidades socioeducativas, comunidades terapêuticas, entre outros locais vinculados à Sejus.

Outras secretarias estão com editais abertos para aquisição dos equipamentos, que poderão ser atendidos com os produtos da oficina de costura realizada pela Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap).

Produtos mais baratos

A produção é considerada importante porque pode abastecer o mercado com produtos mais baratos. Atualmente, a unidade da máscara custa, em média, R$ 4. A ideia é conseguir entregar cada unidade a R$ 0,45. Segundo a pasta, outro benefício dessa produção é contribuir para o processo de ressocialização dos internos.

A bolsa paga aos internos tem o valor de 3/4 do salário mínimo, parte desse dinheiro fica com o reeducando, outra vai para a família e o restante é depositado em um poupança para ser sacado no término da pena. A cada três dias de trabalho, o interno recebe um dia de perdão na pena.

A oficina de costura já era realizada pela Sejus em parceria com empresas do Sistema S. Para atender a produção, foi necessário somente a adequação do uso do maquinário e da expertise de detentos. A Funap trabalha pela inclusão e reintegração social das pessoas presas e egressas do sistema prisional, desenvolvendo seus potenciais como indivíduos, cidadãos e profissionais.

Últimas notícias