Coronavírus no DF: quatro vigilantes do Hran são afastados

Profissionais tiveram contato com marido de paciente internada e apresentaram sintomas da infecção. Eles aguardam resultado de exames

atualizado 16/03/2020 12:48

Quatro vigilantes do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) foram colocados em quarentena após apresentarem sintomas do coronavírus. Eles tiveram contato com o marido de paciente internada com a infecção.

O homem de 45 anos e a mulher de 52 são os únicos dois pacientes do Distrito Federal que tiveram exames e contraprovas positivos para a doença. Nesta sexta, o quadro de saúde dela se agravou.

O terceiro caso, de um vice-presidente do Flamengo que está internado em Brasília, aguarda a contraprova. O primeiro teste deu positivo para coronavírus.

Os vigilantes do Hran estão em casa. Eles realizaram exames na última terça-feira (10/03) e na quinta-feira (12/03) para confirmar ou descartar a contaminação. O resultado sai neste sábado (14/03).

A informação foi confirmada pela Aval Segurança, que cuida das instalações do Hran. Segundo a empresa, eles tiveram contato com André Luís Souza Costa da Silva, 45 anos, marido da paciente com coronavírus internada na unidade.

Até esta sexta-feira (13/03), segundo informações da empresa, os vigilantes teriam tido apenas tosse, um dos sintomas da Covid-19. Nenhum outro quadro característico da doença foi informado à Aval.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Saúde disse que ainda não foi informada da situação. A pasta acrescentou que divulga notícias diárias sobre o coronavírus no DF, com o número de casos descartados, excluídos, em investigação e confirmados.

Já o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, afirmou, em coletiva na tarde desta sexta, que “empresas privadas podem proceder como acharem melhor. Algumas mandam seus funcionários para casa em caso de gripe, mas desconhecemos esses quatro casos”.

O Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância do Distrito Federal (Sindesv) enviou ofício à Secretaria de Saúde pedindo o fornecimento de materiais de proteção descartáveis para os vigilantes.

De acordo com a representação, o documento foi entregue na última quarta-feira (11/03), mas até esta sexta-feira, segundo a entidade, ainda não havia sido enviada resposta.

Colaborou Manoela Alcântara

Mais lidas
Últimas notícias