Coronavírus no DF: Ministério da Saúde aponta 74 casos suspeitos

Atualização foi feita pelo Ministério da Saúde na tarde desta quarta-feira (11/03). Vinte e oito casos já foram descartados

atualizado 16/03/2020 11:52

Fachada do HranJacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

Segundo o Ministério da Saúde, o Distrito Federal possui, até esta quarta (11/03), dois casos confirmados e 74 suspeitos do novo coronavírus. A pasta informa que foram descartados 28 pacientes que se encaixavam na definição.

O caso confirmado da doença no DF é da mulher que está internada em estado grave no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e respira com a ajuda de aparelhos — ela tem outras condições de saúde que agravam a infecção pelo coronavírus — e do marido dela.

O empresário André Luís Souza Costa da Silva, 45 anos, teve o caso confirmado na noite de terça-feira (10/03). A Secretaria de Saúde do DF afirmou que o exame dele foi feito em um laboratório particular e deu positivo.

0

Depois de intimação judicial, o marido dela fez o exame e foi constatada a presença do coronavírus, mesmo que ele não esteja sentindo os sintomas de febre, coriza, tosse e dificuldade para respirar. Ele segue em isolamento doméstico.

A Procuradoria-Geral do Distrito federal (PGDF) pediu à Justiça, na noite de segunda-feira (09/03), que André Luís fosse intimado com urgência para fazer a coleta de material. E também que entrasse em quarentena.

O DF é a unidade da federação do Centro Oeste com a maior quantidade de casos suspeitos, e a única com pacientes confirmados. Goiás tem oito pessoas aguardando o resultado dos exames; Mato Grosso, um; e Mato Grosso do Sul, seis.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu como pandemia o avanço da doença Covid-19. A reclassificação ocorreu horas após o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarar que a ameaça de uma pandemia do coronavírus se tornou “bastante real”.

Desde o início do mês, o Ministério da Saúde defende que a OMS deveria reclassificar a epidemia do vírus. A pasta tem afirmado que o termo deveria ser adotado uma vez que a doença se espalhou em todos os continentes.

Últimas notícias