Coronavírus: DF cai para 19º lugar no ranking de isolamento social

Capital do país mostra adesão cada vez menor nos dias da semana. Na quarta-feira (13/05), índice chegou a apenas 42,12%

atualizado 14/05/2020 8:46

O Distrito Federal apresenta uma queda contínua na adesão ao isolamento social desde o início da semana. No ranking de quarta-feira (13/05), a capital do país teve um índice de 42,12% de pessoas que ficaram em casa para evitar o contágio do novo coronavírus, 19º lugar entre as unidades federativas.

Confira a lista:

States Ranking by Leonardo Meireles on Scribd

Os três primeiros colocados no ranking são, respectivamente, Ceará (50,89%), Amapá (50,87%) e Pará (49,53%). Enquanto isso, a média nacional é de 43,4%. E uma informação é preocupante para a capital: Goiás aparece em último lugar na lista, com índice de apenas 36,94% na adesão à medida.

Todos os números estão bem abaixo do preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela maioria dos especialistas. O ideal seria que a quarentena atingisse 70% da população para o combate efetivo da Covid-19.

0

Queda contínua

O DF mostra uma queda contínua desde o início da semana. Na segunda-feira (11/05), 42,9% dos moradores da cidade ficaram em casa. Na terça (12/05), o número caiu para 42,8%. E na quarta (13/05) chegou a 42,1%.

O reflexo disso é o aumento dos casos confirmados do novo coronavírus na capital. No início da noite de quarta (13/05), havia 3.192 registros de infectados, segundo a Secretaria de Saúde. Desses, 1.856 pessoas conseguiram se recuperar da doença.

Há 192 pacientes hospitalizados, sendo que 92 precisam do suporte de unidades de terapia intensiva (UTIs).

O número de óbitos chegou a 48 – um deles é o de um paciente que residia no estado de Goiás. Duas mortes entraram para a estatística nesta quarta-feira (13/05): uma moradora do Guará de 92 anos e um homem de 72 anos, com residência em Ceilândia.

O ranking de isolamento social é feito pela empresa de software In Loco, com base em 60 milhões de dispositivos móveis em todo o Brasil. De acordo com os responsáveis pelo projeto, somente os dados de geolocalização são utilizados, enquanto a privacidade do usuário é preservada.

Últimas notícias