DF entra em estado de emergência após umidade de 12% por dois dias seguidos

Até o próximo dia 3 de setembro não há previsões de chuva para a capital do país

atualizado 28/08/2020 6:08

JP Rodrigues/Mestrópoles

A seca tem castigado o brasiliense. Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), já são 103 dias sem chuvas significativas na capital do país. Nesta quinta-feira (27/8), o termômetros registraram máxima de 29°C e umidade relativa do ar abaixo de 12%.

Foi o segundo dia consecutivo com esse índice de umidade, o que levou a situação do DF ser classificada como de emergência, como a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil do Distrito Federal havia antecipado nessa quarta-feira (26/8).

A meteorologista do Inmet Andrea Ramos detalhou que o dia mais quente foi 18 de agosto, quando os termômetros registraram 31.9ºC. “Estamos em alerta, a tendência é que os próximos dias sejam os mais secos”, aponta.

Segundo ela, o Distrito Federal está sob alerta laranja do centro em direção ao Leste; e vermelho do centro até o Oeste. Isso indica graus de perigo e grande perigo, respectivamente.

Dessa forma, cresce o risco de incêndios florestais e de ameças à saúde da população, com aumento de casos de doenças pulmonares, dores de cabeça e até agravação de transmissão do novo coronavírus.

 

Ainda segundo a especialista, a última chuva expressiva aconteceu em 25 de maio, com 21.8mm no Paranoá e 11.6mm em Águas Emendadas. Já no Plano Piloto, choveu 0.3mm em 18 de junho.

O Instituto Nacional de Meteorologia informa que até o próximo dia 3 de setembro não há previsões de chuva farta para a capital do país.

Recomendações

As principais recomendações da Defesa Civil durante a época de seca são evitar a prática de atividades ao ar livre no período das 10h às 17h, aumentar a ingestão de líquidos, não tomar banhos prolongados com água quente e muito sabonete, descartar o uso excessivo de ar-condicionado e usar protetor solar. Crianças e idosos precisam de atenção especial, pois são os mais afetados.

0

A população também deve intensificar o isolamento social e a utilização de máscara de proteção facial. Esse é mais um motivo para as pessoas só saírem de casa se houver realmente necessidade, uma vez que a seca combinada com o uso da máscara, pode dificultar bastante a respiração.

Fique atento à umidade relativa do ar!

Entre 21% e 30% (estado de atenção)

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
  • Umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água;
  • Consumir água à vontade.

Entre 12% e 20% (estado de alerta)

  • Observar as recomendações do estado de atenção;
  • Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 17h;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Usar soro fisiológico nos olhos e nas narinas.

Abaixo de 12% (estado de emergência)

  • Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;
  • Interromper qualquer atividade ao ar livre entre 10h e 16h, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, etc;
  • Durante as tardes, manter os ambientes internos úmidos, principalmente quartos de crianças, hospitais, etc.

Últimas notícias