Com deflação no setor de transportes, IPCA cai 0,98% em julho no DF

Dados foram divulgados pelo IBGE nesta terça. Apesar da queda provocada pelos transportes, setores como vestuário e alimentação tiveram alta

atualizado 09/08/2022 12:11

Motorista paga frentista com nota de R$ 100 Hugo Barreto/Metrópoles

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, apresentou queda de 0,98% em julho, em Brasília, ante a alta de 0,81% em junho. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (9/8).

No acumulado do ano, o IPCA  apresentou alta de 4,25% na capital federal, enquanto que nos últimos 12 meses, de 9,49%. No cenário nacional, o índice teve queda de 0,68% em julho, diante dos 0,67% do mês anterior. Essa foi a menor taxa registrada desde o início da série histórica, em janeiro de 1980. A última deflação no país, ou seja, queda de preços, ocorreu há dois anos.

Influência do setor de transportes

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, três apresentaram deflação em julho: Transportes (-6,45%), Habitação (-0,19%) e Educação (-0,07%). O levantamento mostra que a capital acompanha a tendência nacional, com forte queda de preços no setor de transportes, o que influencia no resultado do mês.

Por outro lado, outros seis grupos tiveram alta de preços no mês passado: Vestuário (2,21%), Alimentação e Bebidas (1,99%), Artigos de Residência (1,74%), Despesas Pessoais (0,80%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,49%), Comunicação (0,29%).

Influenciado pela gasolina, IPCA registra deflação histórica de 0,68%

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e de Brasília.

Mais lidas
Últimas notícias