Com 95% de ocupação na rede pública, DF tem 32 na fila por UTI Covid

Até quinta-feira, o índice de ocupação de leitos estava em 97% nos hospitais públicos. A particular está com taxa de ocupação de 93%

atualizado 05/03/2021 10:03

Paciente em maca e profissionais de saúdeRafaela Felicciano/Metrópoles

A taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) voltados para pacientes com Covid-19 na rede pública do Distrito Federal  ficou em 94,8% na manhã desta sexta-feira (5/3). Na manhã de quinta (4/3), a ocupação estava em 97%. O dado é do painel da Secretaria de Saúde e foi atualizado às 6h10.

No momento, há 237 leitos ocupados e 13 vagos — nenhum pediátrico. Dez leitos disponíveis estão no Hospital de Campanha da Polícia Militar, aberto para todo o público, e, na quarta-feira (3/3), ativou mais 16 UTIs. Outros 22 estão bloqueados ou aguardando liberação.

Até as 9h desta sexta, a lista de espera por UTI na rede pública tinha 32 pacientes com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus.

A rede privada está com taxa de ocupação de 93,3%. Na manhã de quinta, o número estava em 93,7%. São 211 leitos de UTI preenchidos, 15 disponíveis e dois bloqueados. Nenhum dos leitos vagos é pediátrico. Estes dados foram atualizados às 7h10.

0
Novos leitos

O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse, nessa quinta-feira (4/3), que serão abertos mais três hospitais de campanha no Distrito Federal. As novas unidades serão instaladas no Ginásio do Gama, no Ginásio Nilson Nelson e em Santa Maria. Em publicação no Twitter, o chefe do Palácio do Buriti informou que serão criados mais 300 leitos nas unidades a serem inauguradas.

O governo acrescentou mais um centro de campanha no plano inicial — que era de abrir dois. Com mais de 90% dos leitos de UTI ocupados, o Executivo local corre para reabrir mais espaços e atender pacientes com Covid-19.

Segundo o governador, serão instalados mais 60 leitos de UTI nesta quinta-feira. “Até o fim de semana, serão mais 130 leitos. É preciso esclarecer que os leitos dos hospitais de campanha não foram desativados, foram transferidos para os hospitais e as UPAs”, pontuou.

Últimas notícias