Alerta no DF: umidade relativa do ar pode cair a 15% nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (17/9), o Distrito Federal atinge a marca de 115 dias sem chuva, com umidade relativa do ar podendo cair a 15%

atualizado 17/09/2020 11:06

DF tem dia mais seco e quente do ano. Defesa Civil e Inmet emitem alerta à população calor secaIgo Estrela/Metrópoles

Nesta quinta-feira (17/9), o Distrito Federal atinge a marca de 115 dias sem chuva, com umidade relativa do ar podendo cair a 15%. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o calor deve continuar, pelo menos, até o próximo fim de semana. A expectativa é para que as precipitações só ocorram na segunda-feira (21/9).

A previsão do tempo para esta quinta-feira é de céu claro, com poucas nuvens. A temperatura mínima foi registrada em Planaltina, e chegou a 13ºC. A máxima, nas horas mais quentes do dia, deve atingir os 31ºC. A umidade relativa do ar deve variar entre 65% e 15%. Por volta das 10h, a umidade indicava 20%.

 

0

“Essa situação está ocorrendo em todo o Centro-Oeste. É uma massa de ar quente e seco, que favorece a persistência de altas temperaturas e a baixa umidade que estamos vivenciando ao longo dos últimos dias”, explicou Andrea Ramos, meteorologista do Inmet.

Alerta

Em função da baixa umidade registrada nos últimos dias, o Inmet e a Defesa Civil emitiram alerta laranja para risco potencial causado pela seca. Nessa quarta-feira (16/9), o Metrópoles noticiou que o DF bateu o recorde de estiagem do ano passado.

Há possibilidade de chover entre domingo (20/9) e segunda-feira (21/9). Contudo, as primeiras precipitações serão fracas e não deverão ser suficientes para aliviar a seca.

Enquanto o calor e a baixa umidade não dão trégua ao brasiliense, alguns cuidados são essenciais. As principais recomendações da Defesa Civil durante a época de seca são evitar a prática de atividades ao ar livre das 10h às 17h, aumentar a ingestão de líquidos, não tomar banhos prolongados com água quente e muito sabonete, descartar o uso excessivo de ar-condicionado e usar protetor solar. Crianças e idosos precisam de atenção especial, pois são os mais afetados.

 

Últimas notícias