CLDF: distritais aprovam lockdown, mas oposição pede mais ações

Parlamentares governistas e oposicionistas consideram restrição necessária diante do aumento de casos e de risco de colapso da Saúde no DF

atualizado 26/02/2021 13:52

O lockdown anunciado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) repercutiu na Câmara Legislativa (CLDF). De certa forma, deputados distritais da base e da oposição julgaram a medida correta. Mas opositores consideram a ação insuficiente diante do avanço da pandemia do novo coronavírus.

Na próxima semana, projetos relacionados à luta contra a Covid-19 terão destaque no plenário, a exemplo da criação de um novo auxílio emergencial local de R$ 408, de multa para quem furar a fila da vacina e da obrigatoriedade da vacinação.

Na avaliação do vice-presidente da CLDF, deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), o lockdown é necessário. “Medida correta, responsável. Medida de quem defende a vida”, avaliou. Do ponto de vista do parlamentar, os donos dos estabelecimentos adotaram protocolos sanitários, mas uma parcela dos clientes, não.

“A gente tem visto que, infelizmente, os frequentadores, uma parte deles, não tem tido a consciência necessária de manter o distanciamento social, usar mascara e álcool em gel. O que está acontecendo agora é fruto dessa atitude. Infelizmente, bares e restaurantes serão prejudicados pela falta de consciência dessas pessoas”, argumentou Delmasso.

O líder do governo na Câmara, Hermeto (MDB), partilha dessa avaliação. “Ninguém quer prejudicar os empresários, mas a realidade é que a população acabou relaxando. Estamos com as UTIs chegando próximo do limite, além da nova variante do coronavírus e do colapso na saúde do Entorno, que acaba refletindo nos leitos do DF. Tudo isso fez com que o governador Ibaneis agisse antes que o problema se agravasse mais. A dose é dura, mas é para evitar mais mortes”, ponderou.

Robério Negreiros (PSD) também chancelou a medida. “Decisão acertada do nosso governador que se baseou em estudo e recomendação dos técnicos da secretaria de saúde, já que o DF está com 92% de ocupação das UTis atualmente. Medida de defesa da saúde da população”, comentou.

Oposição

A oposição também considera a medida correta, mas cobra mais ações do GDF. “Acho muito importante. A reunião com o prefeitos do Entorno foi necessária para o governador se dar conta da gravidade do que está por vir. A medida é correta, mas insuficiente”, destacou a deputada Arlete Sampaio (PT). “Restrições ainda maiores deviam ser feitas. Olha a situação do Brasil. Não somos uma ilha. Não estamos na normalidade”, alertou.

Fábio Felix (PSol) reclamou de “atitudes contraditórias”. “Ontem pela manhã, ele (governador) defendeu de forma intransigente o retorno das aulas presenciais, sem nenhum planejamento sanitário. Agora, anunciou um lockdown, que está mais para restrição noturna. E fez o secretário de Educação divulgar o adiamento das aulas presenciais”, ressaltou.

Últimas notícias