Brasília recebe a mais nova feira de tecnologia do país

Brazilian International Game Show traz gamers, youtubers e especialistas para falar de jogos, um mercado que cresce muito na capital

Chesnot/Getty ImagesChesnot/Getty Images

atualizado 13/09/2019 17:08

O interesse pelos esports — os jogos eletrônicos — cresce de forma exponencial pelo mundo todo. O Brasil não fica para trás. Na verdade, está em terceiro lugar no planeta, pelo segundo ano consecutivo, quando o assunto é o fã. Segundo pesquisa da Newzoo, principal fornecedor global de análises sobre o assunto, são 9,2 milhões de entusiastas brasileiros por games. O país só está atrás de Estados Unidos e China no consumo de produtos relacionados ao setor — desde o acompanhamento de campeonatos até a compra de camisetas de times.

Brasília, por causa do alto poder aquisitivo, tem sua importância no cenário nacional. Ainda não há números oficiais que mostram isso na prática, mas o número de eventos de esports na capital do país dá uma ideia. Foram dois enormes entre novembro do ano passado e fevereiro deste ano. Agora, mais um chega por essas bandas. O Brazilian International Game Show tem a primeira edição marcada para o próximo domingo (15/09/2019), das 12h às 21h, no ginásio Nilson Nelson.

Haverá competições de esports ao vivo, a presença de youtubers e gamers, concurso de cosplay e área indie. Aliás, quem for ao evento trajando um cosplay não precisa pagar para entrar. Grandes equipes do país confirmaram presença: paiN Gaming, Santos, Vivo Keyd e Progaming. Além delas, dois times indicados pela Federação de Esportes Eletrônicos do Distrito Federal.

Palestras

Uma das atividades do evento (patrocinado pela Oi, via Lei de Incentivo à Cultura do DF) é a apresentação de palestras. O influencer The Darkness, por exemplo, falará sobre produção de conteúdo. Já o radialista e narrador de games Pablo XRM explicará como que se faz para ingressar no mercado de esports. Por fim, o professor David Leonardo Teixeira, presidente da Federação de esports do DF, contará como os jogos eletrônicos e a educação são complementares e essenciais.

“Sempre tive muito a pegada de desenvolver a cidadania e a humanidade dos meus alunos nos projetos que fazia”, lembra David Leonardo, professor de educação física na rede pública de ensino do DF. Em 2016, ele percebeu que muitas escolas da cidade não tinham quadra coberta, o que atrapalhava quando chovia ou estava muito quente. Então, começou a levar jogos de carta, tabuleiro e, mais tarde, eletrônicos. E fez o casamento entre educação e games. Com esforço, passou a levar os estudantes para eventos do tipo. “Mostrei também para eles que não poderiam participar desse mundo apenas como consumidores, mas também como desenvolvedores”, lembra.

Para David Leonardo, o mundo dos games também tem dois lados que pouca gente nota: o entusiasta acaba aprendendo inglês e lendo muito. Além disso, o mercado cresce cada dia mais. “O cenário dos games ainda é novo. Porém, já há cursos em universidades e faculdades voltados para o desenvolvimento de jogos. E também estão formando times”, aponta. O professor diz que há muitas startups na área em Brasília, além de cursos para todas as idades.

Veja fotos:
Celeiro

Um desses cursos vem da MK+ Academy. Dona do empreendimento, Pathrícia Cardoso afirma que, cada vez mais, o interesse nos games cresce, principalmente, entre crianças e adolescentes. “Eles não são só consumidores. Também se interessam pelo desenvolvimento do jogo”, argumenta. “E é importante cultivar isso nos mais jovens, para trabalhar a tecnologia de forma didática e de interação”, continua Pathrícia, que investiu na área exatamente por causa do filho. Para ela, muitos problemas encontrados em uma criança podem ser encontrados na tecnologia — bem ao contrário do que diz o senso comum.

“Com as aulas, as crianças se sentem mais amparadas e o pai fica um pouco mais confortável ao entender essa geração Y. Tirando totalmente os jogos do meu filho, eu estava tolhendo a criatividade dele. Tive que desmistificar tudo sobre o assunto”, discursa a empresária. E mais: “Brasília é um celeiro de gênios digitais”. Gente que pode chegar a ganhar seis dígitos e entrar em uma área gera mais de 1 bilhão de dólares todos os anos desde 2016.

Fique ligado!

Brazilian International Games Show
Dia: domingo, 15/09/2019
Local: Ginásio Nilson Nelson, Eixo Monumental, ao lado do Estádio Mané Garrincha
Horário: das 12h às 21h
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada) a serem adquiridos pelo Sympla. Entrada franca aos que forem vestindo um traje de Cosplay
Classificação indicativa: menores de 12 anos, apenas acompanhados de responsável

Últimas notícias