Caseiro procurado por mortes atacou mulher até faca se quebrar em 2019

Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, aguarda decisão da Justiça de Goiás sobre crime praticado contra jovem de 18 anos, em Goianápolis

atualizado 30/11/2021 12:49

Wanderson Mota Protácio é suspeito de matar a própria mulher grávida e a enteada em GoiásReprodução/redes sociais

Goiânia – Foragido por suspeita de triplo homicídio em Corumbá de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, o caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, já foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio, em 2019. Na época, ele admitiu à polícia que esfaqueou nas costas a irmã de sua madrasta e só parou de desferir os golpes porque a faca quebrou-se em três pedaços. A vítima tinha 18 anos.

Wanderson agora é suspeito de matar a própria mulher, que estava grávida de quatro meses, a enteada de 2 anos e um fazendeiro, no domingo (28/11), em uma história semelhante ao caso de Lázaro Barbosa, ocorrido em junho deste ano. As vítimas foram enterradas nesta terça-feira (30/11).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Agressão

Em interrogatório na delegacia em 2019, Wanderson afirmou que só não continuou a esfaquear Lucinelma Silva Pinheiro porque a faca se quebrou, enquanto ele desferia os golpes, na casa onde moravam, em Goianápolis, a 46 quilômetros de Goiânia. Segundo o processo judicial, o crime foi praticado no dia em que a jovem fez aniversário.

Wanderson e Lucinelma, de acordo com o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), tinham parentesco por afinidade, já que o pai dele é casado com a irmã dela. Segundo a denúncia, todos viviam em uma mesma residência.

De acordo com o processo judicial, Wanderson disse que não teve motivação para praticar o crime. “Devido a seu estado, tinha o intuito apenas de matá-la, mas não havia motivo de fazer tal ato e só o fez pois havia feito uso de drogas e bebida alcoólica”, diz um trecho do documento.

Em seu interrogatório, o jovem também disse que primeiro colocou a faca no pescoço da vítima, porém, depois de ela tentar fugir, começou a esfaqueá-la pelas costas, chegando a quebrar a faca em três pedaços.

Um adolescente sobrinho de Lucinelma, que estava no local no momento do crime, disse que Wanderson havia tentado enforcá-la para forçá-la a ir com ele até o quarto. Em seguida, segundo depoimento da testemunha, o caseiro a esfaqueou porque ela não atendeu aos pedidos dele.

Fuga

Depois de praticar o crime, Wanderson fugiu pulando diversos muros de residências na região, mas foi capturado pela polícia a algumas quadras do local do crime.

Na época, a pedido do Ministério Público, a Justiça de Goiás decidiu converter a prisão em flagrante em prisão preventiva.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) confirmou ao Metrópoles que Wanderson foi preso em dezembro de 2019 por causa do crime e teve alvará de soltura em março de 2020.

O sistema de consulta processual do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) aponta que o processo do feminicídio já está concluso, mas ainda não tem decisão.

O TJGO informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o processo está na mesa do magistrado e que a decisão “deve sair em breve”.

Mais lidas
Últimas notícias