Caseiro e patrão estiveram com Lázaro Barbosa em cinco ocasiões. Veja cronologia

Segundo Alain de Santana, o maníaco dormiu na sede da chácara desde quarta-feira. Funcionário também sofreu ameaças do foragido

atualizado 25/06/2021 16:17

Lázaro BarbosaReprodução

O Metrópoles apurou, com exclusividade, que os dois homens presos, nessa quinta-feira (24/6), suspeitos de dar cobertura ao foragido Lázaro Barbosa, 32 anos, estiveram com o maníaco pelo menos cinco vezes nos últimos dias. Alain Reis de Santana, 33, afirmou que o patrão, Elmi Caetano, 74, escondia o criminoso e cozinhava para ele, em uma chácara situada na área rural de Girassol (GO), conforme revelou o Metrópoles.

O caseiro Alain percebeu que Elmi fez quantidade maior de comida nesta semana. Na sexta-feira feira (18/6), o funcionário relatou que, ao fechar a porta dos fundos, viu que Lázaro estava no local, na área da churrasqueira. O foragido é acusado de cometer crimes brutais, como latrocínio, estupro e homicídios, e foge de centenas de policiais há 17 dias.

0

O funcionário contou que ficou assustado e percebeu que Lázaro mancava. Ao questionar Elmi sobre a presença do fugitivo na chácara, o patrão alegou que o caseiro estaria “imaginando coisas”. Alain também viu o maníaco no local no último sábado (19/6); o empregado não compareceu à propriedade no domingo (20/6), pois estava de folga.

Na segunda-feira (21/6), ao chegar à chácara para trabalhar, Alain percebeu que faltava leite e pão na casa. Ele também identificou que Lázaro havia retornado para a chácara. O caseiro detalhou que, na terça-feira (22/6), observou que havia dois copos sujos na cozinha e percebeu que o foragido havia comido pão.

Em seu relato, Alain acrescentou que, no dia seguinte, sofreu ameaças de Lázaro: “Se você falar para alguém que eu estou aqui, eu vou pegar a sua família. Eu sei onde a sua família mora”, teria dito o maníaco, na ocasião.

Em seguida, de acordo com o testemunho do caseiro, o criminoso entrou na sede da chácara, pegou uma faca e um cabo com pedaço de cano envolto em uma borracha, e saiu.

Na quinta-feira (24/6), por volta das 6h30, Alain chegou para trabalhar de bicicleta e encontrou o patrão, Elmi, e o filho Gabriel. O caseiro afirma que foi mandado para o córrego, com a informação de que a bomba estaria estragada, mas não havia nada de errado com o equipamento. Para o empregado, a ordem serviu para afastá-lo da sede da chácara.

No mesmo dia, Alain viu Lázaro entrar correndo para se refugiar em um quarto, mas, antes, fez um sinal para que o funcionário deixasse o local. O caseiro encontrou policiais na propriedade e, por ter sido ameaçado de morte pelo foragido, confirmou que o criminoso estava na chácara. Depois que os agentes foram embora e, em seguida, um helicóptero sobrevoou a chácara, o foragido saiu do cômodo e foi até o córrego onde costuma se esconder.

Segundo Alain, Lázaro vestia apenas roupas pretas: camisa social, calça colada ao corpo, calçado (tênis ou bota) e um boné da marca Oakley.

Alain revelou que Elmi ajuda o maníaco na fuga. O patrão teria permitido que o foragido passasse as noites na sede da chácara e o alimentava desde quarta-feira. Nos últimos três dias, Elmi teria deixado as portas da chácara destrancadas, como se esperasse por Lázaro.

Últimas notícias