Cartazes alertam para risco de infestação de pulgas em subsolo da UnB

Avisos foram espalhados na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. É mais um problema para a instituição, que está em crise, administrar

atualizado 28/03/2018 12:05

Michael Melo/Metrópoles

Mergulhada em uma crise financeira sem precedentes, a Universidade de Brasília (UnB) ganhou mais um problema. Preparando a faca para passar nos contratos de limpeza e conservação, a instituição tenta evitar uma infestação de pulgas.

Cartazes foram espalhados pela direção da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) alertando para a proliferação dos insetos no subsolo do prédio. Os “responsáveis” pelo problema seriam gatos e pombos.

Os alertas são para que estudantes e funcionários não alimentem os bichos, pois eles deixam pulgas, fezes e urina pelo subsolo. Além dos alunos de graduação, o subsolo da FAU também abriga laboratórios e cursos de mestrado e doutorado da área. A diretoria da Faculdade informou que os cartazes foram distribuídos no sentido de orientar as pessoas, considerando o “risco de ocorrer uma infestação de pulgas”.

Informou ainda que providenciou a dedetização e encaminhou ofício solicitando a colaboração do Centro de Controle de Zoonoses para avaliar a situação.

Reprodução

Isa Lima/Agência UnB

Uma das mais importantes universidades do país, a UnB deve fechar o ano com rombo de R$ 92,5 milhões. Para tentar diminuir o prejuízo, a instituição prepara medidas como cortes de estagiários, redução nos subsídios pagos no Restaurante Universitário e demissão de terceirizados.

Essa medida é motivo de protestos. Nessa segunda (26), trabalhadores da limpeza da universidade cruzaram os braços e fizeram uma manifestação contra o provável desligamento de 242 funcionários da RCA Serviços. De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub), Maurício Rocha, a quantidade representa 55% do efetivo da categoria.

Últimas notícias