Candidatos ao Enem falam que segundo dia de provas teve “dificuldade média”

Neste domingo (24/1), estudantes testaram conhecimentos em ciências da natureza, matemática e suas tecnologias

atualizado 24/01/2021 20:50

JP Rodrigues/ Especial para o Metrópoles

No Distrito Federal, candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) relataram que a dificuldade foi “média” no certame deste domingo (24/1), segundo dia da avaliação nacional. Conhecimentos das áreas de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias foram testados nas 45 questões.

A estudante Fernanda Filgueiras, de 18 anos, que fez a prova no colégio Sagrado Coração de Maria, na 702 Norte, afirmou que o principal problema foi lidar com as exigências sociais impostas pela pandemia de Covid-19. “Acho que a maior dificuldade foi na adaptação, na utilização da máscara durantes a prova, além do nervosismo estudantil, que sempre tem em todas as edições.”

Fernanda acrescentou que não tem tanta facilidade com a área de conhecimento cobrada neste domingo (24/1), mas que, por conta da extensa redação, a primeira fase da prova, no domingo passado (17/1) foi “intermediária” em termos de dificuldades.

“Eu, pessoalmente, não sou de exatas, mas o primeiro conteúdo estava mais complexo, achei mais pesado. Quanto à redação, foi um tema relativamente fácil, porque está no nosso dia a dia, que é o estigma das doenças mentais. Então, foi uma edição intermediária em dificuldade”, avaliou.

Para a autônoma Carmen Maria, de 45 anos – que se preparou por meio de um cursinho com as duas filhas –, a prova foi tranquila. “Achei tranquilo, apesar do tempo ser longo e a gente ter que ler bastante. A parte de exatas é bem mais complicada, prefiro a parte de humanas”.

Por já possuir uma graduação, o empresário Ruan Valadares Prestes, de 32 anos, diz que estudou pouco para o Enem, mas, para a segunda fase, achou necessário intensificar a preparação. “Bom nível de dificuldade, boas questões. A deste domingo, para mim, foi um pouco difícil, porque sou melhor na área de humanas, então tive que estudar um pouco mais”, contou.

0
Precauções adotadas contra a Covid-19

Os estudantes que fizeram a prova no Colégio Sagrado Coração de Maria disseram à reportagem que se sentiram plenamente seguros com as medidas adotadas contra o coronavírus.

Fernanda relata que percebeu uma diferença em relação ao primeiro dia do Enem, porque neste domingo (24/1) os alunos foram proibidos de permanecerem em um espaço comum antes do início da prova, o que não aconteceu na primeira fase.

“Não foram permitidas aglomerações no segundo dia de prova. No primeiro, podíamos entrar e esperar no pátio. Desta vez, a gente teve que esperar do lado de fora e, ao entrar, tivemos que ir direto para a sala. Mas mesmo no primeiro dia, não teve aglomeração, todo mundo estava respeitando”, completou a candidata.

Carmen estava preocupada com a aglomeração, porque é portadora de duas comorbidades. “A princípio, eu fiquei com medo de participar presencialmente. Sou do grupo de risco, tenho diabetes e pressão alta. Mas fiquei tranquila porque na minha sala tinha pouca gente. Muitos faltaram, então foi bem tranquilo”, finalizou.

Últimas notícias