*
 

O Bloco 2 do Hospital da Criança de Brasília José Alencar foi inaugurado nesta quarta-feira (4/7). São dois pavimentos erguidos em uma área de 22 mil metros quadros, 67 consultórios ambulatoriais, 202 leitos, centros cirúrgico e de diagnóstico, laboratórios de análise clínica e hematologia, unidade administrativa, área de apoio e um centro de ensino e pesquisa. A obra foi entregue, mas a nova unidade deve funcionar só a partir de outubro.

A construção do novo bloco é resultado de uma parceria do GDF com a Organização Mundial da Família (OMF). O Executivo local investiu 106,7 milhões na extensão do hospital que trata crianças com câncer e hemopatias e contou ainda com um aporte de US$ 10,5 milhões da OMF. O contrato foi assinado em 2012. Em abril deste ano, a inauguração esteve ameaçada, por conta da restrição da Justiça à continuidade do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe) na unidade de saúde.

Em declarações públicas na ocasião, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) chegou a classificar a saída do Icipe como uma “tragédia” que colocava em xeque o funcionamento da nova ala. Isso devido à dificuldade de contratar pediatras para a rede pública. “Cheguei a ficar aflito porque não conseguia entender como um hospital gerido tão bem foi questionado por um corporativismo que não pensa no interesse público. Mas nunca desanimei”, disse, nesta quarta.

A Justiça, porém, decidiu manter o Icipe no Hospital da Criança. E o governo conseguiu, dessa forma, inaugurar o Bloco 2 nesta quarta (4), antes da restrição eleitoral. Por ser de especialidades, a unidade não atende emergências – os pacientes chegam encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Tivemos de ter muita força para enfrentar tantas adversidades e conseguirmos vencer as dificuldades para chegarmos a esse momento. Hoje, entregamos a obra. A expectativa é de que até outubro o novo hospital esteja funcionando"
Rodrigo Rollemberg, governador do Distrito Federal

Segundo o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, antes de a unidade ser aberta ao público, é preciso testar equipamentos, treinar a equipe e cumprir protocolos de segurança para os pacientes. A expectativa é de que, com o novo bloco, o Hospital da Criança faça, por mês, 8,5 mil consultas e 250 cirurgias de médio e grande portes. Além disso, espera ofertar 500 internações e 850 diárias de UTI mensais.

A mãe de Rollemberg, Dona Tereza, e a esposa, Márcia Rollemberg, também participaram da inauguração do Bloco 2. A primeira-dama prestou homenagem à viúva do ex-vice-presidente José Alencar, Dona Mariza Gomes da Silva.