UnB retoma aulas no dia 17 de agosto de forma remota

Universidade lançará edital de inclusão para garantir acesso de estudantes que não possuam computador ou conexão com a internet

atualizado 10/07/2020 6:03

Felipe Menezes/Metrópoles

A Universidade de Brasília (UnB) determinou data para a retomada das aulas, no modelo remoto. As atividades letivas virtuais começam em 17 de agosto para, aproximadamente, 38 mil universitários da graduação e 8 mil da pós-graduação.

A UnB suspendeu as aulas para evitar a disseminação do novo coronavírus. Em reunião na noite desta quinta-feira (9/7), o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) aprovou a data de retomada do calendário acadêmico, com atividades remotas.

Segundo o vice-reitor da UnB e presidente do Cepe, Enrique Huelva, detalhes e demais datas do novo calendário estão em fase de elaboração. Os pontos serão definidos nas próximas semanas. A princípio, o término das aulas será no início de dezembro.

“Nós temos as matrículas prontas [do 1º semestre de 2020]. Vamos retomar o semestre que foi interrompido: temos duas semanas de aula”, explicou. Mesmo assim, a UnB acredita que será preciso fazer ajustes.

“Disciplinas de natureza mais prática não poderão ser retomadas neste momento. Porque a retomada é só remota”, avisou o vice-reitor, em entrevista ao Metrópoles. Nesse sentindo, a ideia é oferecer um modelo flexível. E está em análise a possibilidade de alunos que se sentirem prejudicados cancelarem a matrícula.

Sem conexão

Nas redes sociais, parte dos universitários levantou a dúvida: como fica a situação dos estudantes sem conexão com a internet? E aqueles sem condições financeiras para ter um computador? De acordo com Huelva, a UnB vai lançar um edital de inclusão.

“Estamos elaborando um edital de inclusão, de forma conjunta com os estudantes, com representantes do DCE. Ele vai prever tanto a inclusão digital, por meio do fornecimento de internet, quanto o fornecimento de máquinas, computadores para quem não possui”, disse.

Segundo o vice-reitor, estão em estudo diferentes modalidades. “Estamos pensando em empréstimo, doação e terá também a modalidade de apoio financeiro para que os estudantes possam adquirir”, explicou.

Ao mesmo tempo, a UnB busca participar do programa do Ministério da Educação (MEC) que oferece internet gratuita aos estudantes vulneráveis.

“A ideia é que ninguém fique para trás”, resumiu Enrique Huelva.

Em 13 de agosto, a UnB vai retomar a Universidade Aberta do Brasil, programa de cursos remotos do MEC.

Últimas notícias