Arma que disparou em testículo de PM é de lote investigado por defeito

Corporação abriu processo administrativo em março deste ano para averiguar suposto defeito de fabricação

atualizado 03/05/2022 9:26

pistola em estojo acolchoadoDivulgação/PMDF

A arma do policial que disparou acidentalmente atingindo os testículos do militar pertence ao lote investigado pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) por suposto defeito de fabricação. A pistola foi vendida pela fornecedora tcheca Ceska Zbrojoka, conhecida como CZ. Até o momento, a força de segurança comprou apenas um lote de equipamentos da empresa, que é alvo de investigação interna, conforme revelou o Metrópoles.

Em ofício, PM admite não ter conhecimento para dar manutenção em armas

O tiro acidental aconteceu no estacionamento do Cine Itapuã, no último domingo (1º/5). O sargento, lotado no 9º Batalhão (Gama), estava dentro do carro, acompanhado da namorada, quando aconteceu o disparo. Após o acidente, o homem foi socorrido por outros policiais, que encaminharam a vítima, consciente e orientada, para o Hospital Maria Auxiliadora, na mesma região administrativa. O PM passou por cirurgia e seguia internado até a última atualização desta reportagem.

Todas as armas CZ usadas pela Polícia Militar foram adquiridas em dezembro de 2020 por meio do Contrato nº 72. A PMDF comprou 11.550 pistolas semiautomáticas de 9mm – 5 mil delas em tamanho padrão, 6 mil compactas e 550 subcompactas, todas do modelo P-10. Foram gastos pouco mais de R$ 17 milhões, cada unidade custou R$ 1.506,53. A corporação não revela quantas unidades do montante adquirido apresentaram defeito até agora.

Em março deste ano, a PMDF abriu processo administrativo para averiguar possível defeito de fabricação. A portaria que abre a investigação afirma que os problemas acontecem “em especial no pino 31 e também na rampa de acesso à câmara de pistolas que precisam de polimento, ocasionando falha de carregamento e pane de trancamento”. Ainda de acordo com a publicação, os defeitos elevaram, “e muito”, a demanda do Centro de Material Bélico da Força.

A PM encarregou a major Gisele da Mata Santos, lotada na diretoria de apoio e logística, para produzir relatório, que ainda não foi concluído. A reportagem questionou a PMDF se o acidente desse domingo teria sido causado por esse suposto defeito de fabricação, e a corporação respondeu que “realizará apuração justamente para identificar se o erro foi do operador ou se ocorreu falha do armamento”.

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) também investiga o caso, e a arma acabou apreendida para a perícia. A apuração está a cargo da 14ª Delegacia de Polícia (Gama). Por ora, as armas da CZ que não apresentaram defeito continuam sendo usadas pela PMDF, inclusive para policiamento ostensivo. “As armas que não apresentaram defeitos estão acauteladas com os policiais militares ou armazenadas para o uso operacional, conforme a necessidade”, informou a corporação.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias