Após quatro anos, faixa extra é inaugurada em balão de Águas Claras

Acesso norte contará com pista adicional para desafogar o trânsito. Além disso, 380 m de ciclovia e 450 m de calçada fazem parte da obra

Jak Spies/Especial para o Metrópoles

atualizado 26/09/2019 13:17

A obra da faixa adicional de rolamento no balão da Unieuro em Águas Claras ficou parada durante cerca de quatro anos. Nesta quinta-feira (26/09/2019), enfim, ela foi inaugurada. A construção em si levou oito meses para terminar. Uma ciclovia de 380 m e uma calçada de 450 m também foram apresentadas nesta quinta.

A faixa adicional foi feita para descongestionar o trânsito, que fica muito intenso na via marginal da EPTG, para quem sai da principal avenida de Águas Claras, a Castanheiras.

A rede elétrica teve que ser toda refeita para a conclusão da obra. De acordo com o administrador de Águas Claras, Ney Robsthon, adequações de acessibilidade estão sendo realizadas na cidade como um todo. “Foi trabalhoso. Tivemos que refazer toda uma instalação, mas ficamos muito satisfeitos. Vai descongestionar bastante aqui, basta os motoristas respeitarem as entradas”, afirmou Robsthon.

Confira fotos do local:
0

O secretário de governo, José Humberto, falou em nome do governador Ibaneis Rocha (MDB). Para ele, apesar da demora em concluir a obra, a faixa é um ganho para a população de Águas Claras. “Sem recursos, não se faz nada. Sem ouvir o povo, também não. Presenciei o esforço dos envolvidos na obra, e essas pequenas intervenções facilitam demais a vida das pessoas”, comentou.

A obra, de iniciativa mista (pública e privada), foi elaborada principalmente pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). De acordo com Fauzi Nacfrur Junior, diretor-geral do órgão, a média do orçamento ficou em R$ 600 mil. Desses, R$ 100 mil foram destinados apenas para o recuo da rede elétrica, que ficava no lugar da nova pista. De acordo com José Humberto, nesta sexta-feira (26/09/2019), está prevista a abertura de uma faixa de descida do Colorado.

Impacto

A faixa, que já funciona há cerca de uma semana, acrescenta uma entrada que influencia especialmente os estudantes da universidade que dá nome ao balão. “Uso sempre o balão da EPTG, e melhorou bastante, porque agora é só pegar a faixa direto”, conta Daniel de Souza, 19 anos, que cursa administração. Outro estudante, Wendley Daniel, 19, também elogia: “Venho do Gama. Para mim, facilitou porque a entrada era muito difícil e engarrafada. Agora, fica mais tranquilo”, diz.

Mas nem todos acreditam que a faixa seja uma solução. Para Priscila Mourão, 30, as “tartarugas” que colocaram para isolar a faixa fizeram o problema voltar a estaca zero. “No começo, eu gostei. Mas, agora, com essas tartarugas, não dá para entrar na via. Tenho de dar a volta toda por Águas Claras, já que venho de Taguatinga. Não adiantou muito pra mim”, comenta a estudante.

Felipe Castro, 20, cursa direito na Unieuro e também vem de Taguatinga. Ele dá razão para Priscila, mas entende a melhoria no trânsito: “Mudou para melhor. A gente que vem aqui por cima e pega o sentido Taguatinga consegue cortar pelo balão e chegar mais rápido. Só as ‘tartarugas’ é que dificultam um pouco a entrada”, conta.

Últimas notícias