*
 

O homem apontado pela Polícia Civil como autor dos assassinatos de mãe e filho na Rodoviária do Entorno, ao lado do Touring, trabalhava como ambulante no terminal mesmo tendo um mandado de prisão em aberto por roubo qualificado e corrupção de menor. Henrique Monteiro Gonçalves, 33 anos, e a mulher dele, Geovana Gomes dos Santos, 32, considerada sua cúmplice, estão foragidos.

Henrique é acusado de tirar a vida de Maria Célia Rodrigues dos Santos, 38, e Welington Rodrigues Santos Silva, 22, mãe e filho. Eles também trabalhavam como ambulantes na rodoviária. Kerolyn Ketlen Moreira, 19, filha e irmã das vítimas, respectivamente, também foi baleada. Para a polícia, um crime premeditado. “Há informações de que Henrique não andava armado”, disse o delegado-chefe da 5ª DP (área central), Rogério Henrique Rezende Oliveira.

Nessa quarta-feira (4/7), Henrique, o suposto autor dos disparos, chegou ao terminal por volta das 14h40 e discutiu com as vítimas. “Nesse momento, Maria Célia deu as costas ao Henrique, que teria se irritado e sacado a arma”, contou o policial. O homem fez três disparos, atingindo o peito de Wellington e de Maria Célia, além do abdômen de Kerolyn. Mãe e filho morreram na hora.

Henrique possui três passagens na polícia por lesão corporal – de 2014, 2016 e 2018. Ele também tem um mandado de prisão em aberto em virtude de um assalto cometido em 2007. O suspeito está foragido desde 2015.

Segundo o delegado, Geovana participou do crime. “Foram três disparos direcionados e tudo indica que a esposa ajudou a esconder a arma de fogo. Ela pegou os filhos e fugiu de casa. Seria o pivô da confusão. Provavelmente, eles estão escondidos em algum local de difícil acesso”, disse Rogério Rezende.

A rixa entre os ambulantes é antiga. No dia 25 de junho, os envolvidos, exceto Henrique, foram detidos em flagrante por lesão corporal e liberados logo em seguida. Tudo em razão da disputa por território na rodoviária por onde passam 200 mil pessoas diariamente. “Existe uma divisão informal entre ambulantes no local”, afirmou o delegado.

Levado à 5ª DP na quarta (4), um outro casal foi autuado por favorecimento pessoal, pois teria escondido a chave do veículo de Henrique, um Fiat Doblô verde. O crime ocorreu em frente aos boxes 19 e 18, de Planaltina de Goiás, Novo Gama e Pedregal. Segundo a polícia, a arma usada é provavelmente um revólver de calibre .22 ou .32.

A família de Maria Célia mora em Planaltina de Goiás. A jovem baleada passou por cirurgia e segue internada no Instituto Hospital de Base.

Sobre um possível envolvimento das vítimas com venda de drogas, o responsável pelas diligências negou a informação. “Nos últimos 15 dias, fizemos sete prisões no local por tráfico e eles não estavam entre os apreendidos. No momento da perícia, nada foi encontrado também. Acho que não há relação”, explicou o delegado.

Denuncie
Quem tiver informações sobre os foragidos deve ligar para o 197, telefone da Polícia Civil. Não é preciso se identificar.