Acusado de matar jovem em escola do Entorno do DF vai a júri

O caso, que ocorreu em 2017, não havia sido julgado. Misael Pereira afirma que matou Raphaella Noviski por não ter tido o amor correspondido

atualizado 05/11/2019 13:21

Michael Melo/Metrópoles

O julgamento a júri popular de Misael Pereira de Olair (foto em destaque), 21 anos, assassino confesso da jovem Raphaella Noviski, 16, está marcado para o dia 22 de janeiro de 2020, no fórum da cidade de Alexânia (GO). O crime, que ocorreu há dois anos, em 6 de novembro de 2017, não tinha sido julgado ainda. O assassino encontra-se preso preventivamente desde então.

No dia 6 de novembro de 2017, por volta das 8h da manhã, Misael pulou o muro do Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia (GO). De máscara e capuz na cabeça, sacou o revólver calibre .32, comprado por R$ 2,3 mil, e disparou 11 tiros no rosto da vítima. Depois, fugiu também saltando uma parede.

0

 

Motivo torpe

O assassino morava a duas ruas da vítima, em Novo Horizonte, cidade que fica a 90km de Brasília. A adolescente cursava o 9º ano do ensino fundamental e sofria com ameaças do algoz. Misael se sentia atraído pela jovem, porém, não era correspondido da maneira que desejava. A família de Raphaella não conhecia o acusado.

Vídeo mostra o momento em que Misael entra na escola:

Segundo uma colega da vítima, quando Misael chegou ao colégio, Raphaella não gritou. “Ela se levantou e falou: ‘O sangue de Jesus tem poder’. Logo depois, se sentou. O Misael deu a volta e atirou”, contou uma estudante do 6º ano do ensino fundamental, que não quis se identificar.

Misael era ex-aluno do colégio e responde pelo crime de homicídio por motivo torpe.

Últimas notícias