Stadt Cervejaria celebra seus 15 anos e lança rótulo estilo Weiss

De brewpub à marca com fábrica e distribuição próprias, pontos de vendas e quatro rótulos. Veja a evolução da 1ª cervejaria artesanal do DF

Jacqueline Lisboa/Especial para o MetrópolesJacqueline Lisboa/Especial para o Metrópoles

atualizado 23/10/2019 19:31

A primeira cervejaria artesanal de Brasília chegou à adolescência. Neste mês de outubro, a Stadt Cervejaria comemora seus 15 anos em grande estilo. Entrando no clima da Oktoberfest, a marca lança um rótulo no estilo alemão: o evento será no dia 25, no bar da marca, o Stadt Bar & Music (Quadra 3 do Setor de Indústrias Gráficas), com apresentação da banda We Got The Blues

Com a festa, chega ao público cervejeiro brasiliense o quarto rótulo da marca em garrafa. Trata-se da Stadt JK (Cidade JK), uma cerveja de trigo, bem alemã – daí ser lançada durante o mês da Oktoberfest. Os 100 primeiros fregueses que chegarem à celebração no Stadt Bar & Music, entre 17h e 19h desta sexta-feira (25/10/2019), terão direito a uma long neck da JK cada.

De estilo weiss, a JK (foto em destaque) é turva, de coloração amarelo pálido; cremosa, com notas aromáticas e sabor de cravo e banana, além de leve toque de maltado.  Seu teor alcoólico é de 6%. Agora, ela se soma às irmãs (foto abaixo) Capital (pilsen), Monumental (american indian pale ale, ipa) e Delirius (belgian golden strong ale) com garrafas de 600ml e 355ml (long neck).

Veja as cervejas abaixo e confira aqui a descrição completa de cada rótulo:

Jacqueline Lisboa/Especial para o Metrópoles
A Stadt Cervejaria já conta com outros três rótulos em garrafas: Monumental, Capital e Delirius

 

Nascida em 2004 como um bar com fabricação interna (brewpub), a Stadt Cervejaria é pioneira no ramo e tem a qualidade reconhecida. Por dois anos consecutivos (2017 e 2018) venceu o Prêmio Beba Brasília, como a marca mais conhecida e lembrada da cidade: neste ano, até o próximo dia 31, disputa novamente a preferência dos brasilienses. A empresa também possui o selo de independência da Abracerva (Associação Brasileira de Cerveja Artesanal), que atesta a independência de grandes grupos econômicos do segmento. Certificados que atestam o empenho dos sócios para consolidar a Stadt no mercado de cervejas artesanais do país e expandir os negócios.

Trajetória de sucesso
Nos primeiros anos, a fabricação e a maior parte das vendas do produto – apenas como chope – eram feitas no antigo bar, na Quadra 6 do SIG. O brasiliense também podia pedi-lo para festas e eventos por delivery.  Em 2009, foi aberta a primeira fábrica da Stadt, em Luziânia (GO), aumentando a produção. Nessa época, o público ainda conhecia a marca como Stadt Bier.

Em 2015, os irmãos Marc e Yann Cunha se tornaram sócio. Era o início do processo de reformulação da cervejaria e seus produtos.  Os Cunha tiveram que aprender tudo sobre o mercado cervejeiro: Marc é administrador com pós-graduação em marketing; Yann, ex-piloto de automobilismo.

Jacqueline Lisboa/Especial para o Metrópoles
Marc e Yann Cunha se tornaram sócios-proprietários da Stadt em 2015

 

“Não sabíamos nada; só gostávamos do produto e conhecíamos o bar e o antigo dono. Quando ele decidiu vender, vimos uma oportunidade”, afirma Yann. “Nunca tínhamos trabalhado com cerveja. Pesquisamos, visitamos fábricas no Brasil e no exterior para conhecer o negócio e trazer inovações. E começamos a trabalhar” conta Marc, encarregado da parte administrativa da cervejaria.

Entre as mudanças, a troca da identidade visual. “Stadt é uma palavra alemã e significa cidade. Nosso produto tem tudo a ver com Brasília, a cidade onde somos pioneiros e queremos nos consolidar, mesmo chegando a outras praças”, diz Marc. “É o nosso QG. Somos de Brasília”, enfatiza.

Os rótulos hoje têm traços modernistas, com nítida referência aos famosos painéis de azulejos de Athos Bulcão, presentes em vários monumentos, prédios e casas brasilienses. Com exceção da Delirius, as demais cervejas também foram batizadas em homenagem à cidade: Capital, Monumental e, agora, JK.

Em 2016, a marca assumiu o nome Stadt Cervejaria e, um ano depois, a fábrica foi transferida para um galpão maior, ainda em Luziânia. Em um terreno de 2 mil m², com 1 mil m² de área construída, a Stadt mais que triplicou sua capacidade, saltando de uma produção mensal de 60 mil litros de cerveja para 200 mil.

 

Porto seguro para artesanais
O lugar é clean e bem organizado, com funcionários uniformizados e devidamente paramentados com equipamentos de proteção individual (EPIs) – a maioria dos trabalhadores mora nas imediações da fábrica e, como os irmãos Cunha, não tinha experiência anterior no mercado cervejeiro.

No local, também funciona um laboratório, comandado pelo mestre cervejeiro Eduardo Neves. “Aqui a gente padroniza cada um dos quatro estilos que temos em garrafa e fazemos o controle dessa padronização, para manter a qualidade dos nossos produtos”, explica Neves, químico industrial com 11 anos de atuação no segmento. Esse processo constante de análise influi, por exemplo, na vida útil de uma cerveja: a validade dos rótulos da Stadt varia de 8 meses a 1 ano, de acordo com cada estilo.

Jacqueline Lisboa/Especial para o Metrópoles
Eduardo Neves é o mestre cervejeiro da Stadt Cervejaria: controle de qualidade rígida e apoio aos produtores “ciganos”

 

Neves também explica como nasce uma nova cerveja. “Usamos de base 100 garrafas de teste para fazer um produto novo”, informa. A JK não passou por um desenvolvimento tão rígido, pois nasceu originalmente como chope, mas foi aprimorada para ser engarrafada.

Mas o laboratório e a linha de produção da Stadt também estão a serviço do mercado artesanal: produtores que não têm fábrica própria, os chamados “ciganos”, fazem suas cervejas ali e também contam com apoio para o desenvolvimento das marcas e controle de qualidade.

“Somos pioneiros do segmento em Brasília e uma das primeiras marcas de cervejas artesanais do país. Estamos envolvidos também na organização do segmento, com outros produtores. Ninguém cresce sozinho”, observa Marc Cunha. “Essa organização é necessária principalmente se levarmos em conta que mais de 96% do mercado cervejeiro tradicional está na mão de três grandes empresas. Se não nos unirmos, não sobrevivemos. Quebrar o monopólio das grandes empresas, entrando no mercado e conquistando parte dele é o maior desafio dos artesanais”, completa Eduardo Neves.

Hora de expandir
A nova “sede” representou independência: o processo de envase teve início, com acondicionamento da cerveja em garrafas de tamanhos grande e long neck. Além disso, a distribuição é própria, a partir de uma central no SOF Sul, onde ficam câmera fria e paletes.

De lá, os produtos Stadt Cervejaria são distribuídos para festas e eventos, além de mais de 100 pontos de venda, entre bares, restaurantes, barbearias e adegas. As garrafas também ganharam, neste ano, as prateleiras dos mercados Big Box, Dona de Casa, Dia a Dia, Super Adega e Primor.

Jacqueline Lisboa/Especial para o Metrópoles
Hoje a Stadt já conta com distribuição própria: mais de 100 pontos de venda no DF e entrada em cidades do Entorno, Goiânia, Palmas e SP

 

“A expansão para os mercados ocorreu neste ano. E, de Brasília, nossa cerveja vai para o Entorno, Goiânia (GO), Palmas (TO) e São Paulo”, afirma Marc Cunha, que se diverte ao contar como as praças foram escolhidas de forma prática. A Stadt decidiu levar os produtos para as cidades do Entorno porque são vizinhas de Brasília, e especialmente da fábrica da empresa. A Goiânia pela proximidade e “pelo calor”; a Palmas, “também pelo calor”, e a São Paulo, devido ao tamanho do mercado.

“Todas essas regiões são mercados cervejeiros, consumidores em potencial. São Paulo é diferente. Ser conhecido lá é um grande passo para ser conhecido em todo o país”, reforça o sócio-administrador.

Crescer, contudo, não significa deixar de lado o que fez da Stadt Cervejaria a artesanal mais conhecida e lembrada pelo brasiliense. Seus administradores fazem questão de manter a presença em eventos, como grandes festas e shows ou encontros de apreciadores; de vender kits com três garrafas de diferentes rótulos (600ml) para empresas presentearem parceiros e colaboradores e também de abastecer com garrafas e/ou toneis de chope os churrascos e reuniões de família dos fãs da marca. Afinal, como disse Marc Cunha, “ninguém cresce sozinho”.

 

Lançamento da Stadt JK
Quando: dia 25
Onde: Stadt Bar & Music –Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Qd.3
Programação: show da banda We Got The Blues,promoções de cervejas e petiscos

Stadt Cervejaria
Site:www.stadtcervejaria.com.br
Redes sociais: Facebook e Instagram
Telefone: (61) 3551-5559 (Stadt Bar e Music)
Contato delivery: delivery@stadtcervejaria.com.br | (61) 3022-0161 | (61) 99948-3106 | (61) 99336-7989

Últimas notícias