Concursos: Ibaneis promete chamar 355 bombeiros e 16 delegados da PCDF

Além disso, governador se comprometeu a reforçar o quadro da Polícia Militar do DF, mas não especificou a quantidade de vagas

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 13/06/2019 13:43

O Governo do Distrito Federal pretende convocar 355 aprovados no último concurso do Corpo de Bombeiros. O GDF ainda promete nomear 16 delegados da Polícia Civil. Sem estabelecer um número, planeja também ampliar o quadro da Polícia Militar.

O futuro reforço na segurança pública foi antecipado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) e pelo chefe da pasta, Anderson Torres, durante a cerimônia de entrega de novas viaturas do CBMDF. O evento ocorreu na Praça do Buriti, na manhã desta quinta-feira (13/06/2019).

“Nós devemos estar contratando mais bombeiros militares para que eles possam se incorporar. E que a gente possa fazer um trabalho não só nas ruas do DF com o atendimento à comunidade mas também nos combates a incêndios e no atendimento das comunidades mais carentes”, afirmou Ibaneis.

Além dos 355 novos bombeiros, o governo local estuda uma segunda leva menor de oficiais militares, com 23 convocados. “No caso dos excedentes da Polícia Militar, é o nosso desejo contratar todos. Estamos aguardando a finalização do processo no Tribunal de Contas da União (TCU), para que a gente possa fazer com segurança essas contratações, sem o empecilho do Poder Judiciário”, explicou.

“Colapsar”

De acordo com Anderson Torres, se o GDF deixar de fazer nomeações para reforçar o efeito das tropas, a segurança pública do Distrito Federal vai “colapsar”. “Eu sempre falo para o governador: ‘Temos que nomear sempre’, mesmo estando no limite do orçamento. Se tiver R$ 1, é com ele que nós devemos nomear”, enfatizou.

Pelas estimativas do comandante do Corpo de Bombeiros, Carlos Emilson Ferreira dos Santos, a corporação deveria trabalhar com 9 mil homens e mulheres. Mas, atualmente, tem apenas 5,5 mil profissionais. Conforme o desfecho da reforma da Previdência, esse déficit pode aumentar radicalmente. Dependendo do texto final, 600 podem deixar as tropas de imediato.

Últimas notícias