Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Método Anitta? Saiba qual a melhor forma de lubrificar o ânus

Especialista comenta a dica de lubrificação para o sexo anal dada pela artista e explica se a tática é realmente segura e eficiente

atualizado 29/01/2021 10:21

bunda mulherFoto: Manuela Jaeger/Pixabay

Entre as grandes questões e tabus universais está o sexo anal e como se preparar para ele. Fazer chuca ou não? Como fazer? Faz mal usar dessensibilizante? Cuspe lubrifica mesmo ou o pornô me enganou?

Para agregar ao assunto, Anitta deu uma dica que pratica em sua vida vai fazer sexo anal. Em entrevista ao youtuber mexicano Luis Torres, a artista falou abertamente como se prepara para “dar a roda” (parafraseando Simone).

Além de ressaltar a necessidade de preliminares, como beijos, e também da limpeza da região, com a famosa chuca, Anitta entregou uma tática de lubrificação. A cantora diz usar um aplicador de cremes vaginais para aplicar o lubrificante no interior do ânus.

“Por quê? Porque quando o amiguinho entrar, vai estar sempre molhado. Pode usar com cheiro, com sabor, de morango, sabe? Algodão doce, eu adoro”, explicou.

Mas fica o questionamento: a tática funciona? É segura? Afinal, existe uma forma certa ou mais eficiente de lubrificar o ânus antes da penetração? De acordo com o urologista e sexólogo Danilo Galante, não existe regra. O que se sabe é que quanto mais lubrificado, melhor.

Preparação

O médico ressalta que, ao contrário do que muitos pensam, ainda que a lubrificação seja muito importante, sexo anal não e trata só disso. É uma questão de preparação prática e emocional – tanto de quem é ativo quanto de quem é passivo.

“A pessoa passiva tem que estar muito excitada previamente com toques, beijos, lambidas, desde o começo. E na hora da penetração é preciso ir muito devagar, aos poucos, não ter pressa”, diz.

Sobre o método de Anitta, Danilo garante que não há riscos em sua prática, mas que para ser realmente efetiva ela deve ser feita de forma combinada com lubrificações externas.

“Ela coloca o lubrificante dentro da ampola retal. Isso pode até ser feito, mas só jogar lá dentro e deixar a parte de fora, que é onde começa, seca não é uma boa. A lubrificação tem que começar na região anal – lubrificar bem a entrada do ânus e também o pênis, ou o brinquedo que for penetrado”, afirma.

Por fim, o especialista reforça a importância da camisinha para o sexo anal, mesmo com parceiros fixos. Uma vez que a região retal, mesmo após a limpeza, conta com muitas bactérias. “Existe um grande risco de uretrite com a prática de sexo anal sem camisinha”, finaliza.

Últimas notícias