Kelly Key dá dicas de sexo anal para Gracyanne Barbosa em live

Com o tema em alta, a coluna Pouca Vergonha bateu um papo com um sexólogo para saber o caminho das pedras para o prazer anal sem traumas

atualizado 15/04/2020 11:12

Kelly Key Foto: Reprodução/Instagram

Além de música, exercícios físicos, receitas e aulas, sexualidade também é pauta constante nas lives feitas pelos artistas em suas contas no Instagram. Após Anitta mostrar sua coleção de vibradores e explicar como cada um deles funcionava, outra celebridade decidiu falar abertamente sobre sexo.

Na noite da última segunda-feira (13/04), a cantora Kelly Key convidou a musa fitness Gracyanne Barbosa para bater um papo em uma live, na qual estavam acompanhadas dos respectivos maridos – Mico Freitas e Belo.

Em um momento da conversa, os casais estavam falando sobre sexo e Kelly decidiu dar uma dica para a amiga conseguir fazer sexo anal.

“Você bota um pedaço, vai doer, e você espera. Porque aí, automaticamente, o esfíncter interno vai… e aí sim você está pronto para ‘vrau’. Entendeu? Depois que já está dentro, amor, a vida é linda”, instruiu.

De acordo com o terapeuta sexual André Almeida, o caminho é por aí. “É preciso ter bastante excitação e relaxamento prévios e entender que não pode colocar de uma vez. É um processo de dessensibilização”, explica.

A dica do especialista é começar com o dedo, de preferência o mindinho, e não economizar no lubrificante. “Coloque ali na área, espere um pouco o ânus trabalhar toda aquela contração e vai enfiando devagarzinho. Deixar ele lá até que o ânus se acostume”, aponta.

A partir daí, basta ir trabalhando – devagar e sempre – estímulos maiores até chegar ao pênis. Quando ele for todo introduzido, basta repetir o mesmo procedimento: deixar ele parado até que não seja mais tão doloroso.

Também é importante frisar que quem vai controlar é quem está sendo penetrado. “Isso vai evitar que um momento que é para ser prazeroso se torne traumático”, garante.

E a cabeça de cima?

Ainda que o ato em si seja muito importante, estar livre de preconceitos e crenças errôneas acerca do sexo anal também é importante para que a experiência seja um sucesso. “Para os homens existe muita confusão entre o prazer anal e uma possível ‘perda da heterossexualidade’, e para as mulheres tem toda a questão de passar uma imagem que não gostaria”, exemplifica.

Depois de se livrar de todos os tabus e ter paciência, fica cada vez mais fácil, se tornando possível lançar mão do anal até mesmo em encontros casuais. Parafraseando Kelly Key: “Depois que já está dentro, a vida é linda”.

Últimas notícias