Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

Seja sustentável e ganhe dinheiro com isso

Startup da Hungria promete remunerar pessoas por hábitos sustentáveis como trocar o carro pela bicicleta

atualizado 04/11/2021 12:33

Rafael Codonho

A sustentabilidade, ao lado do futuro do trabalho, emergiu como o principal tema da edição deste ano do Web Summit. O destaque foi dado pelo CEO do evento, Paddy Gosgrave, em entrevistas e manifestações públicas. E ocorreram dezenas – talvez centenas – de palestras sobre mudança climática nos mais de 30 palcos da programação. Na maioria das vezes, a fala é batida e calculada palavra a palavra para angariar aplausos e surfar na grande onda do momento. Tudo bastante pasteurizado.

Mas é nos estandes que os discursos se tornam concretos e tocam a vida real das pessoas. São mais de 200 startups focadas em sustentabilidade, dos mais variados países, da Arábia Saudita à Estônia. E vem da Hungria uma ideia que pode transformar a relação dos cidadãos com o meio ambiente de um jeito que sensibiliza cada espírito humano: o bolso.

A moeda verde

A genialidade simples da EthiCoin, liderada por um jovem de 28 anos, está em remunerar as pessoas quando elas adotam hábitos sustentáveis. Em um primeiro momento, os valores serão pagos a quem caminhar ou andar de bicicleta em deslocamentos. Zoltán Péter deixa claro: não se aplica para quem pratica esportes. O ponto está em estimular as pessoas a não andarem tanto de carro de lá para cá.

Os indivíduos geram benefícios para a sociedade, mas não são recompensados por ninguém”, conta o húngaro sobre como surgiu o estalo para abrir o negócio. “Eu competia em ciclismo e ainda ando muito de bicicleta pelas ruas de Budapeste. A maioria dos carros têm apenas uma pessoa, e isso me incomoda bastante. Isso torna a cidade pior”, complementa.

A partir desse insight, o empreendedor pensou em criar um aplicativo para caronas. Mas rapidamente mudou de ideia. “O car pooling gera em torno de 3 centavos de euro de benefícios sociais por quilômetro. Por outro lado, caminhar e andar de bicicleta retorna em média 15 centavos”, lembra o morador da capital húngara.

Começando pela mobilidade e pelo transporte urbano, a EthiCoin pagará aos usuários 10 centavos de euro para cada quilômetro percorrido a bicicleta e 20 centavos no caso de quem caminha. E como se faz para gastar essa moeda verde? Zoltán explica: “Teremos uma rede de parceiros de negócios sustentáveis. E lá você poderá comprar produtos com desconto”.

Todos ganham

Mas quem paga essa conta? Ele responde: “O dinheiro vem dos parceiros, que conquistam novos clientes e fidelizam seus consumidores”. Ao lado disso, as marcas agregarão valor ao serem parceiras de uma iniciativa sustentável. Um ganha-ganha em um mundo que valoriza, cada vez mais, o cuidado com a natureza.

No primeiro ano, os usuários não serão cobrados pelo uso da plataforma. Mais para frente, os planos da empresa envolvem recompensar outras atividades como comprar dispositivos que utilizam a energia de forma eficiente para casa. Atualmente, a startup ainda está em fase de prototipagem, possui algumas centenas de usuários e dezenas de parceiros.

Para daqui a uma década, Zoltán Péter pretende ir muito além da terra de Harry Houdini ou mesmo das fronteiras europeias. “Queremos estar presentes em todos os países. Tenho certeza de que cidades grandes como São Paulo e Rio de Janeiro também têm problemas em comum, como o trânsito. Eu também ficaria feliz de estar no Brasil.”

O portal Metrópoles está presente no Web Summit 2021, em Portugal. A curadoria da cobertura tem a assinatura da Brivia, com geração de conteúdo da Critério — Resultado em Opinião Pública.

Mais lidas
Últimas notícias