Tudo o que rola no universo dos famosos e da televisão, sob o olhar atento de Leo Dias e equipe.

Pedreiro gato do TikTok sonha em ser modelo e diz que já pensou em se matar

O curitibano que ficou famoso durante a quarentena e dobrou o número de seguidores no Instagram conta que já venceu a depressão

atualizado 19/09/2020 16:30

Francisco Albuquerque

Foi misturando a rotina de pedreiro com os desafios e vídeos engraçados no Tik Tok que Francisco Albuquerque, de 26 anos, começou a ficar conhecido na internet. Com a popularização dessa rede social durante a quarentena, muita gente descobriu o perfil do Pedreiro Model – nome que ele usa nas redes – e os seguidores mais do que dobraram. No TikTok são mais de 282 mil seguidores e no Instagram já acumula quase 43 mil.

Francisco nasceu em Curitiba, mas atualmente mora em Campo Largo, também no Paraná, com a mãe – que o criou sozinha trabalhando como diarista –, o padrasto e a irmã, de 9 anos. É pedreiro há mais de 10 anos, mas sempre sonhou em ser modelo, e viu na internet um caminho possível para isso. Há 3 anos, compartilha sua história nas redes sociais com o intuito de se tornar produtor de conteúdo e modelo internacional. “Foi agora em 2020 que a história viralizou através do TikTok. Fico muito feliz com a repercussão, nem esperava tanta. Além de divulgar meu trabalho, recebo muitas mensagens de pessoas que estão voltando a sonhar, isso faz tudo valer a pena”, conta Francisco.

0

As postagens do pedreiro evidenciam uma trajetória de luta e superação que começou ainda na infância. “Cheguei a tentar a carreira de modelo quando criança, mas não tínhamos dinheiro, fui iludido por algumas agências e eu tinha uma baixa autoestima que me atrapalhava. Na adolescência e vida adulta, sempre era parado na rua por e pessoas que diziam que eu tinha perfil. Mas eu não acreditava que isso era pra mim”, afirmou. Antes de trabalhar na construção civil, fez três anos de administração na Universidade Federal do Paraná e chegou a trabalhar em uma multinacional. “Após seis anos nos escritórios, estava infeliz com o trabalho, entrei em depressão e pensei em tirar minha vida”, relatou.

Francisco conta que, apesar do momento difícil, a depressão trouxe a oportunidade de recomeçar. “Foi a pior e melhor fase da minha vida, porque foi onde encontrei meu propósito de vida. Percebi que tinha algo muito errado com minhas escolhas, estava indo mal na faculdade, no trabalho e no meu antigo relacionamento”, lembra. Para ele, o maior obstáculo foi aceitar que precisava de ajuda para tratar o transtorno. “Eu me cobrava demais pra ser perfeito, achava que depressão era frescura. Mas, depois, entendi que todos temos fases difíceis e que os psicólogos estão aí para nos ajudar”, disse.

Após a fase conturbada, Francisco teve vários empregos. Foi garçom, recreador infantil, vendedor, jardineiro, entre outros. Mas foi como pedreiro que ele se encontrou e trabalha até hoje. Começou reformando a própria casa, aos 15 anos, e viu no trabalho braçal uma terapia para superar a depressão e flexibilidade para planejar a sonhada carreira de modelo. Hoje, equilibra alguns trabalhos na moda com as obras, o que inspira na criação de conteúdos para internet. “Eu não queria ser apenas mais um modelo, eu queria ser o Pedreiro Model, o modelo sujo de cimento. Além do marketing, é para mostrar que independente do seu trabalho ou como está vestido, você deve se orgulhar da sua profissão e também pode sonhar com voos maiores”, destacou.

Francisco conta que começou a investir de fato na carreira de modelo há três anos. “O primeiro trabalho que fiz foi para um catálogo de roupas, depois fiz mais alguns trabalhos para marcas de Curitiba. Esse ano cheguei a gravar comercial para TV e fui capa da Revista TopView do Paraná”, afirmou. Mas por trás do glamour das redes sociais, há desafios. “Existem poucos trabalhos de modelo onde moro e com a pandemia diminuíram mais ainda. Estou aproveitando essa pausa para me aperfeiçoar. Só não desisti porque é minha paixão e tenho pessoas que me apoiam. Já foram muitas noites de choro e decepções com pessoas dentro do mundo da moda. Por outro lado, sou motivado porque tenho conseguido muitas parcerias”, revelou.

Ao contrário de muita gente do universo da moda que almeja, Francisco não tem pretensões na TV prefere focar na internet. “Não é pra mim. Até já recusei teste para novela. Gosto da liberdade de produzir conteúdo e o contato com o público que a internet proporciona”, explicou. O próximo passo que o pedreiro-modelo quer dar é fora do Brasil. “Quero ir para Nova York, não me pergunte o porquê e nem como (risos). É uma vontade que surgiu no meu coração faz algum tempo. Acho que só vou descobrir quando chegar lá. Só sei que quero desfilar lá como modelo, andar pela cidade sujo de cimento e inspirar pessoas a realizarem seus sonhos mais loucos”, finalizou.

Últimas notícias