Tudo o que rola no universo dos famosos e da televisão, sob o olhar atento de Leo Dias e equipe.

No Limite: “Tudo diferente”, diz Elaine, campeã da primeira edição

“O maior desafio foi a convivência. Mas, no final, ficamos amigos", lembrou ela

atualizado 14/05/2021 11:20

reprodução

Em 2000, o No Limite chegava às telinhas como o primeiro reality show da Rede Globo, com um elenco de participantes anônimos de vários cantos do Brasil. O programa de desafios, resistência física e emocional levou a cabeleireira paulistana Elaine de Melo, sem qualquer preparo físico, à grande vitória. Ela levou para casa o prêmio no valor de R$ 300 mil e um carro.

Em uma final surpreendente, com apenas mulheres, Elaine venceu a gaúcha Pipa. Em conversa com a coluna, ela contou sobre os desafios, a volta da atração e revelou que há diferenças significativas nas duas épocas. “O maior desafio foi a convivência. Cada um vinha de uma região do país, então, os costumes, os jeitos eram diferentes. Isso gerava atrito. Mas, no final, ficamos amigos”, disse ela.

0

Elaine assistiu ao primeiro episódio da nova temporada de No Limite e logo de cara percebeu algumas grandes diferenças, principalmente, na quantidade de alimentos. “A estreia foi muito diferente do que a gente viveu. Mais participantes em cada grupo e mais comida. Nós não tínhamos tudo isso”, lembrou. Os participantes receberam arroz, macarrão instantâneo, atum e milho enlatados, entre outras coisas.

A falta de comunicação entre os competidores, que ocasionou na perda de duas provas da equipe Calango e algumas brigas entre eles, também chamou a atenção de Elaine. “O pessoal estava bem despreparado. Eles não se organizaram para montar o acampamento. Estão muito individualistas. Mas, por enquanto, não dá para saber muita coisa”, completou ela.

Com exibição em épocas diferentes, o formato e dinâmica do jogo também mudaram. “Era bem diferente do que é agora, como a cronologia de tempo. Eram três dias de provas. O primeiro dia já cansava bem a gente. O segundo valia a ‘vida’, que ia para o portal. Eram provas mais pesadas, e muitas vezes íamos bem mal. No terceiro dia, eram atividades que valiam alguma comida. Era um pão com queijo para todos”, completou Elaine.

Últimas notícias