Tudo o que rola no universo dos famosos e da televisão, sob o olhar atento de Leo Dias e equipe.

Globo grava reportagem sobre presidente da Universal Music e não exibe

Reportagem sobre acusação da ex-mulher do presidente da Universal Music, Paulo Lima, de cárcere privado, nunca foi ao ar

atualizado 11/08/2021 13:56

O poder de Paulo Lima, presidente da Universal Music, é, de fato, muito grande. Ele conseguiu impedir até mesmo a TV Globo de exibir uma reportagem sobre a acusação de ter mantido a própria mulher em cárcere privado em uma clínica psiquiátrica.

A ex-mulher de Paulo, Helena Lahis, chegou a gravar uma reportagem no início de julho para o Fantástico contando todo o calvário que passou. Na época, ela até elogiou a abordagem dos repórteres durante a entrevista. Mas a matéria nunca foi ao ar. “Inacreditável, mas uma grande emissora foi calada”, disse Helena. Segundo a revista Veja, Paulo é uma das pessoas mais poderosas do mundo da música no Brasil.

0

Helena foi internada em 20 de outubro de 2019, numa clínica famosa do Rio, a Clift, que mistura dependentes químicos com pessoas com tendências suicidas, entre outras questões psiquiátricas. No entanto, mais de dez pessoas prestaram depoimento, entre elas cinco especialistas, como médicos e psicólogos, que enviaram laudos sobre o estado de saúde de Helena. E nenhum profissional atesta que ela sofre de distúrbio mental.

Mas como Paulo conseguiu internar a mulher mesmo ela não tendo problemas mentais? Novamente, o poder falou mais alto. Influente, ele conseguiu que a ex-mulher fosse internada sem laudo médico com a ajuda de uma amiga médica. Helena foi surpreendida, dentro de casa, com a chegada de dois enfermeiros enormes que a levaram à força para a clínica. Lá, ela ficou incomunicável por 21 dias.

Pedido de socorro

De maneira “clandestina”, ela escreveu uma carta com um pedido de socorro e, com a ajuda de um funcionário da clínica, o namorado de Helena tomou conhecimento da situação e precisou entrar na Justiça para retirá-la de lá.

Até hoje Helena luta para ser ouvida, para provar que não é “louca”, luta para que a questão ande na Justiça. Acredite, já se passaram quase 2 anos e ainda não foi instaurado um processo do caso. Mais uma prova do poder e da influência de Paulo Lima.

Esta reportagem se encerra com uma frase de Helena que resume muito bem o sentimento de impotência diante de alguém tão poderoso. “Ter a sua palavra desvalidada é, somente, ver arrancada sua própria dignidade”.

Atualização 11/8

A Globo emitiu a seguinte nota sobre não ter exibido a entrevista com Helena: “A Globo só exibe reportagens quando elas estão inteiramente apuradas, como é básico no jornalismo”.

Mais lidas
Últimas notícias