Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Sem vacina, técnicos do IML decidem sexta se param de recolher corpos

Assembleia da categoria foi convocada para a próxima sexta (9/4), quando servidores vão pressionar o governo local por imunizantes

atualizado 07/04/2021 18:27

Recolhimento de cadáverRafaela Felicciano/Metrópoles

Os servidores que atuam no Instituto Médico Legal (IML) ameaçam suspender a remoções de cadáveres em hospitais públicos e particulares do Distrito Federal porque ainda não foram vacinados contra a Covid-19. Uma assembleia foi convocada para a próxima sexta-feira (9/4), quando o assunto será deliberado.

Embora o Governo do Distrito Federal (GDF) tenha anunciado a imunização da categoria recentemente, as doses não chegaram aos técnicos em necropsia, que mantêm contato direto com os corpos, incluindo das vítimas da doença no Distrito Federal.

“Apesar de terem anunciado, não tem vacina disponível para o IML. Inclusive, as vacinas repassadas para a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e a Polícia Civil (PCDF) foram distribuídas para outras categorias de segurança. Todos os outros servidores que mexem com cadáveres já foram vacinados, menos o IML. A sensação que dá é que tem alguém atrapalhando a nossa vacinação. Não sei quem é, mas continuamos expostos”, disse José Romildo Soares, presidente da Associação dos Técnicos em Necropsia do IML (Aspen-DF).

A vacinação dos profissionais da segurança pública do Distrito Federal contra a Covid-19 começou segunda-feira (5/4). Serão aplicadas 2.310 doses.

O representante da categoria disse que, desde janeiro, vem tentando politicamente, por meio de ofícios, sensibilizar o governo para que, tão logo começasse a imunização dos servidores da saúde, os técnicos do IML também fossem incluídos nos grupos prioritários.

“Por incrível que pareça, desde o início dessas tratativas, a direção do IML também está participando e tentando nos incluir na vacinação prioritária, mesmo sem o consentimento da direção-geral da PCDF. Tanto é que essa nossa inclusão nesta lista injusta de agendamento se deu graças a um contato pessoal de um dos diretores. Infelizmente, mesmo com todas essas tentativas, fomos incluídos em um grupo geral de profissionais liberais, sem vínculo com o GDF. Isso não deveria estar acontecendo”, reclamou.

Durante coletiva realizada nesta quarta-feira (7/4), o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, informou que a categoria foi incluída na próxima fase da vacinação e que ainda aguarda a remessa do Ministério da Saúde para direcionar os imunizantes para a Polícia Civil (PCDF).

Já a Polícia Civil informou que foi realizada uma reunião com o Departamento de Gestão de Pessoas, ficando agendada um novo encontro, desta vez com o subsecretário de atenção à saúde no dia 08/04/2021, às 16 hs, para buscar alternativas para o caso.

“Acrescentamos que também participarão da reunião a Direção do IML e 1(um) representante da categoria dos técnicos de necropsia”, frisou.

Por nota, a Secretaria de Saúde também destacou que reconhece a importância da vacinação dos servidores do IML. “No entanto, a ampliação dos grupos prioritários depende do número de doses a serem disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. A pasta trabalha para atender esses e outros públicos prioritários o quanto antes”.

Últimas notícias