Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

GDF aguarda nova remessa de vacinas para reabrir agendamento

A Secretaria de Saúde também espera mais doses para imunizar categorias prioritárias, como professores, vigilantes e bancários

atualizado 17/06/2021 18:29

Gustavo Rocha, secretário chefe da Casa Civil do GDFIgo Estrela/Metrópoles

O Governo do Distrito Federal (GDF) informou, nesta quinta-feira (17/6), que, para reabrir o agendamento de pessoas com idade entre 50 e 59 anos, aguarda a chegada de novas remessas de vacina contra a Covid-19, a serem enviadas pelo Ministério da Saúde.

Já anunciada, a imunização de novas categorias, como professores, vigilantes e bancários, também depende da entrega de mais doses. “Não há como fazer mágica. Se houver atraso, haverá prejuízo no ritmo da vacinação”, disse o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha (foto de destaque), durante coletiva realizada no Palácio do Buriti.

“Houve uma mudança no cronograma do Ministério da Saúde. A gente tem muita cautela em passar dados, o números de vacinas, quais as categorias serão atendidas ou se vai baixar uma faixa etária. É porque a remessa de vacinas vem do governo federal e, muitas vezes, essa expectativa não se concretiza. Então, vamos esperar a confirmação para convocar novas categorias”, pontuou Rocha.

O titular da Casa Civil do DF citou como exemplo o atual atraso para a chegada da vacina Janssen, da Johnson & Johnson – cuja entrega estava prevista para a última terça-feira (15/6), mas acabou sendo adiada devido a problemas na importação dos imunizantes.

“O que se sabe é que houve um problema na alfândega dos Estados Unidos”, afirmou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, também presente na coletiva.

De acordo com o GDF, os profissionais de educação e cerca de 2 mil pessoas em situação de rua receberão o imunizante da Johnson & Johnson, por exigir apenas uma dose para a resposta imunológica. A vacina seria destinada “Principalmente às pessoas que moram nas ruas, por termos dificuldade de encontrá-las para aplicar a segunda dose”, explicou.

Questionado pelo Metrópoles sobre a duração do atual estoque para aplicação da primeira dose, Okumoto disse não ser possível fazer esse cálculo: “Depende das pessoas agendadas irem ou não vacinar. Quem não comparece abre vaga para outra pessoa que tem interesse”.

Segundo o secretário de Saúde, desde sexta-feira (11/6), foram registrados 47.433 agendamentos para pessoas entre 50 e 59 anos. No caso de não comparecimento, as doses podem ser remanejadas.

Novas regras

Gustavo Rocha informou ainda que o GDF decidiu autorizar a retomada das atividades profissionais presenciais para pessoas vacinadas com mais de 60 anos e aquelas, de qualquer faixa etária, que têm comorbidades e que tenham sido imunizadas com a segunda dose.

Para os dois grupos, o retorno pode ocorrer depois de 30 dias do recebimento da segunda dose da vacina contra a Covid-19.

A mudança será publicada no Decreto nº 41.913, de 19 de março de 2021, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da Covid-19 (Sars-Cov-2), e dá outras providências.

Clubes, academias e escolas

O governador Ibaneis Rocha (MDB) decidiu autorizar a liberação do uso das churrasqueiras, saunas e salões de festas em clubes recreativos no DF. As novas regras serão publicadas na edição do Diário Oficial (DODF) na sexta-feira (18/6).

De acordo com o secretário, o Governo do Distrito Federal (GDF) também decidiu reduzir o espaçamento entre as carteiras escolares para a distância de 1 metro, conforme orienta o Ministério da Educação. Hoje, no DF, a distância utilizada é de 1,5m.

No caso das academias de ginástica, as catracas também poderão voltarão a funcionar a partir da publicação da norma, sem a utilização da biometria. Outra alteração vai permitir a licença eventual para cursos profissionalizantes e de capacitação, desde que obedecidos os protocolos.

As liberações, segundo Gustavo Rocha, seguiram os índices acompanhados pela Secretaria de Saúde sobre a situação da pandemia no Distrito Federal.

Últimas notícias