Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Corpo de Frejat será velado nesta terça no Campo da Esperança da Asa Sul

Após o velório, que ocorre das 15h às 17h na capela 6, corpo segue para o Crematório Jardim Metropolitano, em Valparaíso (GO)

atualizado 24/11/2020 10:41

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Um dia após a morte de Jofran Frejat, 83 anos, a família confirmou que o corpo do ex-deputado federal e secretário de saúde do Distrito Federal será cremado. O velório ocorrerá ocorrerá nesta terça-feira (24/11), na capela 6 do Cemitério Campo da Esperança da Asa Sul, das 15h as 17h, e será aberto ao público. Em seguida, o corpo segue para o Crematório Jardim Metropolitano, em Valparaíso (GO), em local reservado apenas a família do político.

O piauiense de Floriano foi vítima de um câncer de pulmão, diagnosticado enquanto realizava tratamento para cálculo renal.

Ainda nessa segunda-feira (23/11), o Governo do Distrito Federal (GDF) decretou luto oficial de três dias na capital federal. “Jofran Frejat é um exemplo que eu segui e espero continuar seguindo na vida pública. Para mim, sempre foi um modelo de político”, declarou o comandante do Palácio do Buriti, Ibaneis Rocha (MDB).

0

Na nota, Ibaneis relembrou o caráter de Frejat. “Nos deixa um grande cidadão, que fez sua história pautado na ética e na atenção aos que mais precisavam. Que a família receba os meus pêsames e o meu carinho”, manifestou, completando que “sua dedicação fez do Distrito Federal uma referência no tratamento da saúde pública. Foi deputado federal atuante, constituinte, enfim, um homem que dedicou sua vida ao serviço público”.

Assim como o atual governador do DF, ex-chefes do Executivo local também expressaram condolências. Agnelo Queiroz, Cristovam Buarque, José Roberto Arruda, Rodrigo Rollemberg e Rogério Rosso foram os chefes do Executivo no passado que lamentaram o falecimento de Frejat.

Colega de parlamento, com quem dividiu a Câmara dos Deputados ao longo da década de 1990, o atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado, foi o último a manifestar seu pesar. Em nota, afirma “imenso orgulho ter tido Jofran como colega no Congresso Nacional”, a quem via como alguém “muito preparado e atuante”. “Nesse momento de imensa dor, me solidarizo com todos que sofrem com a sua partida, especialmente seus familiares e amigos. Que Deus, em sua infinita bondade, possa confortar o coração de todos”, concluiu.

Confira, na íntegra, a nota de pesar enviada por Ronaldo Caiado.

Foi com imensa tristeza que eu e minha esposa, Gracinha Caiado, recebemos a notícia do falecimento do meu amigo e ex-colega de parlamento, Jofran Frejat, nesta segunda-feira (23/11), em decorrência de complicações causadas por um câncer de pulmão.

Jofran, que também era médico, foi deputado federal por cinco mandatos. Atuou como secretário de Saúde do Distrito Federal em quatro oportunidades. Deixa um grande legado consubstanciado na ética, no elevado espírito público e no comprometimento com as causas maiores da sociedade.

Foi um imenso orgulho ter tido Jofran como colega no Congresso Nacional. Era um parlamentar muito preparado e atuante, do qual certamente a população do DF se orgulhava de tê-lo como representante.

Nesse momento de imensa dor, me solidarizo com todos que sofrem com a sua partida, especialmente seus familiares e amigos. Que Deus, em sua infinita bondade, possa confortar o coração de todos.

Ronaldo Caiado
Governador de Goiás

História

Médico-cirurgião; eleito deputado federal cinco vezes; ex-secretário de Saúde do DF, nos governos de Joaquim Roriz, Frejat tinha extenso currículo na política do Distrito Federal. Como ressaltou Ibaneis, tinha atuação enfática na área da saúde, sendo ávido defensor do Sistema Único de Saúde (SUS). Formou-se em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1962, mesmo ano que veio para Brasília.

Na recém-inaugurada capital, trabalhou primeiro no antigo Hospital Regional da Asa Sul até ser nomeado diretor do Instituto Médico Legal do Distrito Federal na administrações de Hélio Prates da Silveira e Elmo Serejo Farias. Nas eleições de 2014 e quando ainda era pré-candidato, em 2018, Jofran Frejat defendeu com afinco o retorno da Fundação Hospitalar do Distrito Federal, da qual foi diretor do Conselho Deliberativo, em 1979.

Após seus cinco mandatos como deputado federal, fazendo de Frejat o recordista no DF, chegou ao segundo turno na corrida pelo Palácio do Buriti em 2014, contra o então candidato Rodrigo Rollemberg (PSB), mas perdeu com 44,44% dos votos válidos. Em 2018, colocou-se como pré-candidato ao cargo, mas desistiu por alegar motivos pessoais.

Últimas notícias