Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Após questionamento do TCDF, Secretaria de Economia revoga pregão de aventais

Depois de matéria do Metrópoles, secretário decidiu direcionar os R$ 68,7 milhões para que a pasta da Saúde adquira os itens de proteção

atualizado 28/09/2020 21:56

André Clemente (Sec. Economia DF) no estúdio do MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

O secretário de Economia do Distrito Federal, André Clemente, determinou a revogação do pregão eletrônico lançado para adquirir materiais de proteção à Covid-19. O edital foi alvo de auditoria do Tribunal de Contas (TCDF), que encontrou indícios de sobrepreço na ordem de 172,07% para a aquisição de aventais. O caso foi revelado na última sexta-feira (25/9) pelo Metrópoles. A reportagem revelou que o valor estimado era de R$ 68,7 milhões para a compra de 18 itens em diferentes quantidades.

Com o propósito de verificar a regularidade dos valores estimados pela pasta, o TCDF elaborou um mapa comparativo de preços para os itens previstos. Após a análise, foi verificado que quase todos estavam dentro do valor de mercado. Porém, houve indícios de sobrepreço nos pedidos de avental. Assim, o órgão de controle determinou à pregoeira responsável pelo certame que só o homologasse após a certificação dos preços.

Contudo, ao tomar conhecimento da possível diferença de preços obtidos com os praticados no mercado, o titular da pasta decidiu anular o edital de compra e deixar a responsabilidade de compra dos equipamentos de proteção exclusivamente para a Secretaria de Saúde, mesmo não encontrando os indícios apontados pela auditoria.

“Entretanto tal indicação de sobrepreço não se confirma pelos seguintes motivos: I) porque a datas de comparação são distintas; II) porque o item avental utilizado pelo TCDF tem especificações
distintas daquelas inseridas no Pregão; III) as propostas obtidas no curso do certame em referência apontam para valores bem inferiores aos apontados inicialmente no pregão e aqueles indicados pelo TCDF”, registrou o secretário em despacho deste sábado (26/9).

Veja o despacho:

Economia do DF decide revogar pregão de aventais com sobrepreço de 172% by Metropoles on Scribd


Cotações divergentes

Segundo Clemente, “é normal e compreensível a variação de preços entre a cotação inicial e as apresentações das propostas. Veja por exemplo o próprio Pregão nº 25/2020 do TCDF que para o mesmo item avental cotou um valor de R$ 121,68 (cento e vinte e um reais e sessenta e oito centavos), ao passo que a pesquisa de preços da SEEC encontrou a mediana final de R$ 81 (oitenta e um reais)”, comparou.

O titular da Economia local informou já ter determinado às áreas de compras que a pasta não realizaria compras de EPis [equipamentos de proteção] “em face da especificidade do tema em um momento de grave pandemia e da existência de órgão público de saúde detentor de competência para cuidar das políticas de saúde”. “A melhora das condições no combate à Covid-19 verificada no Distrito Federal também permite que a área responsável pela saúde distrital realize o procedimento licitatório considerando o atual cenário e ajustando as novas necessidades do ente público”, reforçou.

Ao cancelar o pregão eletrônico, o secretário direcionou os R$ 68,7 milhões para que a Secretaria de Saúde faça a aquisição destinada aos órgãos da estrutura do Governo Distrito Federal (GDF). “Determino ainda o encaminhamento dos autos à Controladoria-Geral do Distrito Federal para auditoria nos autos em referência a fim de verificar e confirmar, em tese, a regularidade dos atos
praticados”, finalizou.

De acordo com a Secretaria de Economia, até ser revogado, o pregão atraiu o interesse de pelo menos 91 empresas, sendo que algumas com propostas recusadas por não atenderem ao instrumento convocatório ou pela não apresentação da documentação de habilitação exigida no edital.

 

Últimas notícias