Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

Anacê: o que esperar da estreia da grife no São Paulo Fashion Week

A marca das designers paulistas Ana Clara Watanabe e Cecília Gromann está preparando coleção cheia de significado pessoal

atualizado 01/06/2021 10:14

Cecília Gromann e Ana Clara Watanabe, da AnacêMariana Valente/Anacê/Divulgação

Cada nova edição do São Paulo Fashion Week traz novidades das grifes veteranas e aquece as expectativas do público pelas estreantes. Na próxima edição do evento, entre os dias 23 e 27 de junho, a marca Anacê está entre as estreias. Para atender ao formato 100% digital, as estilistas Ana Clara Watanabe e Cecília Gromann exibirão a nova coleção em um fashion film. Elas adiantaram alguns detalhes à coluna.

Vem conferir!

Giphy/Anacê/Divulgação

Significado pessoal

A coleção de estreia da Anacê no SPFW, batizada de Ruta, tem significado pessoal para a dupla de fundadoras e diretoras criativas. O tema envolve dualidade, propondo reflexão sobre o período atual: “Fala muito sobre crença, espiritualidade, e se apegar a alguma coisa maior, ter fé neste momento”, adianta Gromann.

Ao mesmo tempo, o compilado aborda “inserções da tecnologia”, bem como anseios e necessidades do período atual, cheio de novos acontecimentos a todo instante. “Retratamos esse boom tecnológico, essa obsessão de informação em que vivemos”, complementa.

Outra novidade do compilado é a estreia de uma linha ateliê, algo que a marca nunca havia feito. Ou seja, a coleção terá peça de duas linhas distintas: uma com itens mais cotidianos, e a ateliê, com criações exclusivas. Dessa última, somente os itens desenvolvidos para o desfile serão vendidos.

O fashion film que apresentará as novidades deve brincar com as sensações descritas por Cecília. Segundo ela, o vídeo aborda contraste entre o ser humano e a tecnologia, mostrando uma tentativa de reconexão consigo mesmo. A apresentação está marcada para o dia 23 de junho, data de abertura do SPFW N51.

Cecília Gromann e Ana Clara Watanabe, fundadoras e diretoras criativas da grife Anacê
Cecília Gromann e Ana Clara Watanabe, fundadoras e diretoras criativas da grife Anacê

 

Croqui da coleção Ruta, da Anacê
Em junho, a marca se apresentará pela primeira vez no São Paulo Fashion Week. Aqui vai um spoiler, em forma de croqui!

 

Croqui da coleção Ruta, da Anacê
A coleção de estreia da label no evento abordará temas como crença e inserções da tecnologia. Outro esboço diretamente dos bastidores

 

Peças da grife brasileira Anacê
Lançada em 2019, a Anacê tem uma abordagem sem gênero e atemporal, com forte presença da alfaiataria

 

Materiais selecionados

O processo criativo da coleção veio logo após um longo estudo têxtil feito pela marca, que se posiciona como uma label jovem e preocupada com o consumo. As designers buscaram entender o que estavam oferecendo em relação ao que era utilizado nas criações. Trabalhar com fornecedoras comprometidas com as questões socioambientais foi um dos passos nesse sentido.

“Nossa preocupação com a matéria-prima veio muito disso: ter um viés de fibras naturais, sustentável, mais próximo do sentido dessa reconexão com a natureza, do homem com ele mesmo”, explica Cecília Gromann. Como resultado, a maior parte do compilado traz peças em 100% algodão com selo ecológico BCI (Better Cotton Initiative).

Arrematando a referência tecnológica da coleção, a grife também está trabalhando com a empresa têxtil Vicunha. Dessa parceria, surgiram peças confeccionadas com o tecido antibacteriano Moorin Protect BF, que faz parte da linha V.Tech. Além de evitar a proliferação de bactérias, o material traz uma tecnologia que repele líquidos, incluindo gotículas de saliva.

Peças da grife brasileira Anacê
Da coleção Ruta, podemos esperar muitas peças em algodão e produtos feitos em tecido com tecnologia antibacteriana

 

Blazer da grife brasileira Anacê
A busca por tecidos naturais remete ao conceito do ser humano em reencontro consigo mesmo

 

Bolsa da grife brasileira Anacê
O processo criativo da nova coleção surgiu a partir de um extenso estudo têxtil

 

Peças da grife brasileira Anacê
A marca buscou entender o que estava propondo por meio dos materiais que usa como base das peças

 

Mais novidades a caminho

As novidades da Anacê vão além da coleção Ruta. A marca adianta que fez uma parceria com a startup Água na Caixa, que produz garrafas, ou melhor, “caixas” de água mineral reutilizáveis. A embalagem é totalmente reciclável e feita 82% de materiais de origem renovável (54% de papel e 28% de plástico verde).

“Vamos lançar um produto em parceria com eles, uma bolsa, que venderemos no nosso site. Isso abre portas para que comecemos um marketplace dentro da Anacê, com uma curadoria de marcas que a gente acredita”, antecipa Cecília Gromann. Ela adianta que a própria Água na Caixa está incluída nessa nova proposta do site da grife, prevista para estrear junto com a nova coleção.

Outra iniciativa a caminho é um projeto voltado para o upcycling, trabalhado com as artistas Gabriela Adami, Heloisa Ariadne e Rafaella Braga. Assim como a bolsa citada acima, o projeto não compõe a coleção que estará no SPFW, mas deve ser lançado no mesmo período.

Garrafa da marca Água na Caixa
A Anacê lançará uma bolsa em parceria com a startup Água na Caixa, que comercializa “caixas” de água de 500 ml como esta. A marca também estará no marketplace que a Anacê pretende começar

 

Peças da grife brasileira Anacê
O novo e-commerce da grife terá uma curadoria de marcas nas quais as fundadoras acreditam

 

Peças da grife brasileira Anacê
A abordagem genderless da marca funciona muito bem para a dupla, já que Cecília Gromann gosta de criar moda feminina

 

Camisa da grife brasileira Anacê
Ana Clara Watanabe, por sua vez, se identifica mais com todo o processo de criação da moda masculina. Unindo os dois mundos, nasceu uma marca atemporal, que veste todos os gêneros

 

Nacional, atemporal e sem gênero

Ana Clara Watanabe e Cecília Gromann se conheceram durante a graduação em design de moda na Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). Apaixonadas pela alfaiataria, ambas são do interior de São Paulo: Watanabe nasceu no município de Pindamonhangaba e Gromann, em Embu-Guaçu. A dupla lançou a primeira coleção da Anacê em abril de 2019, fruto de vários salários de estágio economizados.

Desde o início, a grife ficou conhecida pelo trabalho com alfaiataria sem gênero e atemporal, cheia de personalidade própria. O cuidado com os detalhes, a modelagem exagerada e as cores elegantes deixam o resultado ainda mais diferenciado. Além disso, os designs priorizam o conforto e a praticidade, transitando em diferentes ocasiões, sejam elas no dia ou à noite.

Colaborou Hebert Madeira

Últimas notícias