Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi e Victoria Abel

PT usará pesquisa para esticar a corda com o PSB em Pernambuco

Lideranças do PT dizem "não fazer sentido" abrir mão da candidatura de Humberto Costa, líder nas pesquisas ao governo de Pernambuco

atualizado 30/01/2022 22:16

Humberto Costa e Lula Reprodução/Redes sociais

O PT usará uma recente pesquisa Vox Populi para esticar a corda nas negociações com o PSB pelo candidato da federação ao governo de Pernambuco estado. O levantamento mostra o senador Humberto Costa (PT-PE) na liderança a frente de nomes do PSB.

O petista chega a 38% das intenções de voto no cenário em que candidato do PSB seria o deputado federal Tadeu Alencar, que pontua com 2%. Já se o nome do PSB fosse o deputado federal Danilo Cabral, também cotado, Costa tem 37% ante 1% do pessebista.

O nome do PSB que melhor pontua na pesquisa é do ex-prefeito de Recife Geraldo Júlio. No levantamento estimulado, quando o pesquisador apresenta nomes ao entrevistado, ele alcança 16% da intenção de voto. O ex-prefeito, porém, já avisou que não topa ser candidato.

Sem sentido

Mesmo com lideranças petistas já admitindo que, em prol da aliança nacional com o PSB em torno da candidatura do ex-presidente Lula ao Planalto, a tendência é o partido apoiar um pessebista em Pernambuco, caciques do PT de tentarão argumentar que “não faz sentido” o movimento.

O próprio Humberto Costa disse à coluna que a federação não pode ignorar o resultado das pesquisas na hora de tomar uma decisão sobre o candidato ao governo pernambucano.

“O processo deve se concluir nos próximos dias. Minha candidatura está posta.  Essa pesquisa mostra justamente isso, que nós temos um caminho bastante favorável para ter uma vitória. Não apenas pelos meus índices, mas pela aceitação do PT, pela votação do presidente Lula.  A Frente Popular não pode simplesmente ignorar esses fatos, fazer de conta que não existe nada”, disse.

Como mostrou a coluna, lideranças petistas consideram a pesquisa como uma última “carta na manga” para tentar convencer o PSB a abrir mão de ter uma candidatura própria em Pernambuco para apoiar um nome do PT. Os pessebistas, porém, alegam que Pernambuco é prioridade, pois o estado é governado há 16 anos pela sigla.

Uma eventual desistência do PT na disputa pelo governo pernambucano repetirá o cenário de 2018. Naquela eleição, os petistas abriram mão de lançar Marilia Arraes ao governo do estado para apoiar a reeleição do atual governador do estado, Paulo Câmara (PSB).

Mais lidas
Últimas notícias