Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Guedes é resistência ao debate sobre política de preços da Petrobras

Presidente da Câmara, Arthur Lira levantou a hipótese de debater na Câmara uma mudança na política de preços da estatal

atualizado 20/06/2022 7:43

O ministro da Economia, Paulo Guedes, gesticula durante fala frente a microfone - MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

Apesar do debate sobre a política de preços da Petrobras ter sido levantado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), lideranças do Centrão avaliam não ter espaço para essa mudança no momento.

O motivo seria a resistência que o ministro da Economia, Paulo Guedes, oferece a qualquer possibilidade de desvincular os preços dos combustíveis da estatal dos praticados no mercado internacional.

O ministro já defendeu que quem tem de tratar de política de preços é a direção da petroleira. Em sua participação no Fórum Econômico de Davos, em maio deste ano, Guedes disse que é “o CEO e a diretoria” da Petrobras que “falam de política de preços”.

Colégio de líderes

Lira convocou para esta segunda-feira (20/6) uma reunião dos líderes da Câmara para debater novas alternativas para conter os sucessivos aumentos nos preços da Petrobras.

Dentre as possibilidades sugeridas por Lira na última semana, estão a possibilidade de aumentar a taxação sobre os lucros da empresa, a instauração de uma CPI e um debate sobre a política de preços.

Como mostrou a coluna, aliados do presidente Jair Bolsonaro querem convencê-lo a desistir de um Comissão de Inquérito. Por outro lado, líderes já pensam em possibilidades para um projeto de taxação dos lucros da estatal.

Uma das sugestões que deve aparecer na reunião desta segunda é utilizar um projeto que está no Senado, sobre transparência dos preços, para modificar as alíquotas de impostos sobre a  Petrobras.

Mais lidas
Últimas notícias