Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Exército decide não indicar novo integrante para comissão do TSE

Decisão acontece após presidência do TSE descredenciar da comissão um coronel do Exército que espalhou fake news sobre as urnas eletrônicas

atualizado 10/08/2022 19:01

técnicos indicados pelo Ministério da Defesa fazem a inspeção dos códigos-fonte da urnas eletrônica na Sala Multiúso, na sede do Tribunal Superior Eleitoral TSE 8Hugo Barreto/Metrópoles

O Exército brasileiro decidiu não indicar um substituo do coronel Ricardo Sant’Anna para a comissão fiscalizadora das urnas eletrônicas do TSE, após a Corte descredenciar o militar por ter espalhado fake news sobre o equipamento.

“Baseado em “apuração da imprensa” e de forma unilateral, sem qualquer pedido de esclarecimento ou consulta ao Ministério da Defesa ou ao Exército Brasileiro, o TSE ‘descredenciou’ o militar. Dessa forma, o Exército não indicará substituto e continuará apoiando tecnicamente o MD nos trabalhos julgados pertinentes”, diz o Exército em comunicado.

Sant’Anna foi destituído da comissão pelo presidente do TSE, Edson Fachin, na última segunda-feira (8/8). A decisão foi tomada após o Metrópoles revelar que o militar divulgou mensagens com fake news sobre as urnas.

Nas postagens, Sant’Anna, que estava designado para analisar o código das urnas após requisição do Ministério da Defesa, questionava a integridade do próprio sistema de votação adotado pelo TSE.

Postagens do militar chegaram a ser marcadas como “falsas” pelo Facebook. O coronel também divulgou mentiras sobre candidatos adversários de Jair Bolsonaro.

Em umas delas, Ricardo dizia que o ex-presidente Lula (PT) roubou um faqueiro de ouro dado de presente ao Brasil pela rainha Elizabeth II, da Inglaterra.

Mais lidas
Últimas notícias