Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Deputado questiona Itamaraty por pressão contra observadores europeus

Por pressão do governo, TSE retirou convite para União Europeia enviar observadores durante as eleições marcadas para outubro

atualizado 11/05/2022 21:12

Agência Senado

O deputado Marcelo Calero (PSD-RJ) quer saber o motivo por que o governo brasileiro é contrário à presença de observadores da União Europeia nas eleições deste ano.

O parlamentar, que é ex-ministro da Cultura do governo Temer, protocolou nessa quarta-feira (11/5) requerimento de informação ao ministro das Relações Exteriores, Carlos França. Na peça, constam questionamentos sobre a posição contrária do governo federal à realização da missão exploratória.

Em nota do Itamaraty divulgada à imprensa no dia 13 de abril, o ministério afirma “não ser tradição do Brasil” ser avaliado por “organização da qual não faz parte”.

Dentre as perguntas enviadas, Calero quer saber o motivo da posição do governo federal, tendo em vista que o presidente Jair Bolsonaro (PL) questiona a lisura das urnas eletrônicas.

“O governo federal, todavia, tem questionado sistematicamente a lisura do processo eleitoral brasileiro, o que nos faz crer que quanto maior a quantidade de auditores independentes das eleições brasileiras, mais ampliada seria a legitimidade do pleito, o que justificaria a opção por auditores externos não tradicionais”, justifica Calero.

Diante da postura do governo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retirou na última semana o convite para a vinda de observadores europeus durante as eleições.

Mais lidas
Últimas notícias