Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Bolsonaro não será o único que já criticou Moraes e irá à posse no TSE

Presidente nacional do PT e Ciro Gomes fizeram críticas a Moraes quando ele foi indicado por Michel Temer para o STF

atualizado 16/08/2022 16:37

Gustavo Moreno/ Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não será o único crítico de Alexandre de Moraes que prestigiará a posse do ministro como presidente do TSE, na noite desta terça-feira (16/8), em Brasília.

Com presenças confirmadas na cerimônia de Moraes, o candidato do PDT ao Palácio do Planalto, Ciro Gomes (PDT), e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), já atacaram o ministro.

As críticas foram feitas quando Moraes foi indicado para o STF pelo então presidente Michel Temer, de quem era Ministério da Justiça. A indicação ocorreu em 2017, ano seguinte ao impeachment de Dilma Rousseff.

Na sessão que aprovou o nome do ministro, em 22 de fevereiro de 2017, a então senadora Gleisi anunciou que votaria contra a indicação e levantou dúvidas sobre a suspeição de Moraes para julgar processos sobre o PT.

“Embora concordemos que o processo de indicação ao Supremo é um processo político, não podemos concordar com o nível partidário, político, militante do indicado, sr. Alexandre de Moraes, para o cargo do Supremo Tribunal Federal. Não poderia deixar de registrar isso aqui. Também nos preocupam as manifestações do ministro em relação aos movimentos sociais, em relação às articulações e manifestações de rua e, principalmente, em relação ao Partido dos Trabalhadores e aos partidos de oposição”, disse Gleisi na sessão.

“Lembrar que esse ministro também integrará o Tribunal Superior Eleitoral e, com isso, vai julgar ações em que o Partido dos Trabalhadores e outros partidos de oposição estão, aos quais ele já se manifestou contrário. E espero, sinceramente, que não tenha posição partidária. Aliás, ontem, aos questionamentos que fizemos a ele sobre se deveria se declarar sob suspeição nesses casos, ele não quis responder e disse que, caso a caso, ele iria se manifestar”, acrescentou a petista.

Procurada pela coluna, Gleisi não respondeu. O espaço segue aberto.

“Aberração”

A crítica de Ciro, por sua vez, foi feita em uma entrevista ao Estado de S. Paulo, na qual o pedetista classificou a decisão de Temer em prol de seu ministro da Justiça como “uma aberração”.

Nesta terça-feira (16/8), o presidenciável do PDT disse, em uma caminhada em São Paulo, que compareceria à posse de Moraes como um sinal de “civilidade e respeito às instituições”.

Mais lidas
Últimas notícias