Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Após contato com Queiroga, chanceler mantém agenda com autoridades de 9 países

O ministro Carlos França e o almirante Flávio Rocha não voltaram na comitiva presidencial e ficaram em Nova York para reuniões bilaterais

atualizado 24/09/2021 10:36

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o ministro de Relações Exteriores, Carlos FrançaArthur Menescal/Especial para o Metrópoles

O chanceler Carlos França e o secretário de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência, almirante Flávio Rocha, permaneceram em Nova York para encontros com autoridades de outros países, mesmo após terem contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que testou positivo para a Covid-19.

Diferentemente de outros ministros e auxiliares presidenciais, França e Rocha não retornaram na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que decolou para o Brasil na noite de terça-feira (21/9). Queiroga também ficou nos Estados Unidos, mas para cumprir quarentena trancado em um hotel.

O chanceler e o almirante, por sua vez, continuaram em Nova York nos dias seguintes. Desde a quarta-feira (22/9), França teve reuniões com autoridades de pelo menos nove países: Alemanha, Índia, Japão, Singapura, Hungria, República Dominicana, Moçambique, Costa Rica e Peru.

Os encontros foram registrados na agenda oficial do ministro das Relações Exteriores brasileiro. Rocha acompanhou o chanceler na maioria dessas reuniões, mas não registrou na sua agenda oficial que, desde quarta, aparece como “sem compromissos agendados”.

Procurados, assessores de França não responderam. Já a assessoria do almirante informou que ele seguiu protocolos da ONU para essas agendas. A agência teria exigido comprovante de vacinação completa, teste negativo para a Covid-19 e declaração de que os dois estavam assintomático no dia da reunião.

A assessoria da SAE informou ainda que Rocha deve retornar na noite desta sexta-feira (24/9) ao Brasil e cumprirá as regras de isolamento que a Anvisa determinar. Até as 10h30 de hoje, a agenda do chanceler brasileiro não registrava qualquer compromisso oficial em Nova York.

Últimas notícias